fbpx
PUBLICIDADE

Liberais lamentam teor do projeto de combate à fake news

Parlamentares e organizações de viés liberam destacam risco de retrocesso à liberdade de expressão no projeto aprovado no Senado Federal; agora, projeto irá para tramitação na Câmara
Foto: Marcelo Brandão / Repórter da Agência Brasil
Foto: Marcelo Brandão / Repórter da Agência Brasil
PUBLICIDADE

Liberais se manifestaram de forma crítica ao projeto aprovado no Senado Federal na noite da última quarta-feira (30) que propõe a endurecer regras para evitar a proliferação de fake news e identificar os responsáveis pela criação de notícias falsas.

PUBLICIDADE

Como noticiado pelo Boletim da Liberdade, o texto também já tinha encontrado críticas de empresas e organizações do terceiro setor.

Livres, associação liberal suprapartidária, afirmou que o projeto “diminui a liberdade na internet e agrava a desigualdade no ambiente virtual”.

PUBLICIDADE

Na Câmara dos Deputados, para onde o projeto foi enviado após a aprovação no Senado, a organização prometeu continuar “trabalhando para barrar retrocessos” e sustentou que o “combate a fake news precisa de mais liberdade, não menos”. [1]

Leia também:  Com base em parecer jurídico, Pacheco recusa impeachment de Moraes

Principal agremiação de viés liberal no país, o Partido Novo também criticou o projeto, classificando-o como “inadequado”. [2]

“A versão atual não está clara em pontos-chave e cria burocracias desnecessárias. Além disso, abre margem para possíveis censuras e violações de privacidade”, disse o partido.

Líder da bancada do NOVO na Câmara, o deputado federal Paulo Ganime (NOVO/RJ) afirmou ao site O Antagonista que o partido votará contra o projeto na forma em que foi desenhado. [3]

PUBLICIDADE

“A pessoa física e os canais menores terão medo de divulgar informações e serem punidos por isso — quem tem grande poder econômico pode pagar advogados e multas”, pontuou o parlamentar.

O deputado federal Kim Kataguiri (DEM/RJ), um dos coordenadores nacionais do MBL, afirmou nas redes sociais que o projeto aprovado no Senado “abre caminho para o fim da privacidade e da liberdade de expressão no Brasil”.

Leia também:  Bolsonaro sanciona revogação da Lei de Segurança Nacional, mas impõe vetos

“Forçar empresas a rastrear mensagens não é razoável para combater fake news. Vou combater na Câmara dos Deputados os abusos desse projeto”, prometeu.

Compartilhe essa notícia:

Leu até aqui? Siga nas redes!

MARCAS APOIADORAS

Podcast

O Boletim da Liberdade tem um propósito: reportar diariamente fatos sobre a liberdade no Brasil e no mundo…

mas nós precisamos da sua ajuda para continuar esse trabalho.

Se você consome e aprecia nosso conteúdo, considere fazer uma assinatura. Com a sua contribuição mensal, você ajuda a manter o site no ar (os custos são realmente altos) e ainda possibilita o nosso crescimento. Além disso, recebe benefícios exclusivos. Temos vários projetos na mesa que só serão viabilizados com maior quantidade de assinantes. Saiba mais e assine agora mesmo.

Colunas mais recentes

Assine o Boletim da Liberdade e receba todas as segundas-feiras a coluna Panorama