fbpx
PUBLICIDADE


Filipe G. Martins: movimento conservador deve ganhar maturidade ou morrer

Assessor de assuntos internacionais do presidente Jair Bolsonaro, Filipe G. Martins é considerado da ala ideológica e defendeu que o movimento conservador compreenda ‘dinâmica do processo decisório do governo’

- Publicado no dia
Filipe G. Martins ao lado de Olavo de Carvalho (à direita) (Foto: Reprodução)

Em um conjunto de publicações feitas na manhã desta quinta-feira (2) no Twitter, o assessor especial para assuntos internacionais do presidente Jair Bolsonaro, Filipe G. Martins, comentou que o ano de 2020 será decisivo para o movimento conservador. Segundo ele, o grupo “terá de alcançar a maturidade ou morrer”.

“Ajudamos eleger um presidente, mas, internamente, assistimos surgir uma tremenda confusão mental. Se isso não mudar, perderemos a guerra no longo prazo – que é o que de fato importa”, destacou. [1]


PUBLICIDADE



Na sequência, Martins sustentou que “é preciso compreender melhor a dinâmica do processo decisório dentro do governo, identificando a composição das forças capazes de exercer pressão e influência durante esse processo”.

Segundo o internacionalista, é preciso “trabalhar para tornar o movimento conservador uma das mais importantes variáveis nessa equação” de pressão. [2]

“Isso não será alcançado com as atitudes imaturas que temos visto de lado a lado; nem com as críticas totalizantes baseadas em expectativas irreais, nem com os aplausos acríticos e as explicações mirabolantes para justificar qualquer decisão. Isso só se alcançará com maturidade”, concluiu Martins, enigmático. [3]

Nas últimas semanas, intensificaram críticas ao presidente Jair Bolsonaro nas redes, inclusive com o levantamento da hashtag “Bolsonaro Traidor” após a sanção da criação do juiz de garantias. Uma das vozes mais ferozes a criticar o presidente veio do YouTuber Nando Moura, conservador e ex-apoiador de Bolsonaro.

+ Setores da direita criticam sanção de Bolsonaro a ‘juiz de garantias’

+ Nando Moura diz que influenciadores bolsonaristas já tentaram usá-lo para difundir narrativas

Foto: Reprodução/Twitter

+ ÚLTIMAS VAGAS: Curso de Introdução de Liberalismo abre vagas para a primeira turma por tempo limitado

★ ★ ★

Se você acompanha e aprecia o trabalho jornalístico do Boletim da Liberdade, e valoriza a importância de existir um veículo profissional com viés liberal, pedimos que:

➡ Considere fazer uma assinatura solidária ao Boletim. Com uma contribuição mensal, você ajuda que o site continue no ar e possibilita o nosso crescimento. Além disso, recebe benefícios exclusivos. Temos vários projetos na mesa que só serão viabilizados com maior quantidade de assinantes. Saiba mais e assine agora mesmo.

➡ Siga nossas redes sociais (Facebook, Twitter e Instagram), inscreva-se em nossa newsletter gratuita semanal e entre em nosso grupo do WhatsApp para recebimento de conteúdos. Curta nossas publicações, compartilhe-as para seus amigos e fale do site para conhecidos e familiares liberais. Toda ajuda faz diferença.

Curta nossa página no Facebook

Notícias no WhatsApp
O Boletim da Liberdade abriu mais um grupo no WhatsApp para recebimento de conteúdos especiais. Mas entre logo: é por tempo limitado. Participe apenas caso tenha interesse em notícias sobre política e economia com um viés liberal. Clique aqui para entrar.
Siga-nos no Twitter

Comentários


Receba nosso conteúdo por e-mail



PUBLICIDADE
error: Não é permitida a reprodução do conteúdo sem prévia autorização.