fbpx
PUBLICIDADE


Kim Kataguiri e Bolsonaro trocam farpas no Twitter: ‘manda me prender’

Presidente Jair Bolsonaro acusou de ‘fake news’ denúncia publicada pelo deputado federal Kim Kataguiri e citou veto derrubado na Câmara defendido pelo parlamentar como capaz de prender quem faz notícias falsas

- Publicado no dia
Foto: Reprodução

O clima esquentou de vez entre a família Bolsonaro e o deputado federal Kim Kataguiri (DEM/SP), do MBL. Após troca de acusações e um duro discurso na Câmara contra Eduardo Bolsonaro (PSL/SP) e o governo, até o presidente Jair Bolsonaro se envolveu na polêmica neste sábado (31).

A confusão recomeçou no início da tarde, quando o parlamentar do MBL afirmou que o presidente era “muito mais mesquinho do que imaginava”.

Segundo Kim, com base em documento do Ministério da Economia, apesar de sua emenda que barra o Fundão Eleitoral ter sido aprovada na Câmara, Jair Bolsonaro teria enviado um orçamento de 2020 incluindo o aumento do fundão eleitoral, com valor estimado para R$ 2,5 bilhões. [1]

Na noite deste sábado (31), o presidente Jair Bolsonaro, sem citar diretamente Kim, respondeu a acusação nas redes sociais afirmando que o respectivo valor “apenas cumpriu a determinação (fundamentada em lei) da presidente do Tribunal Superior Eleitoral, Rosa Weber” e que, portanto, tratava-se de uma fake news.

Em anexo, o presidente publicou um ofício, datado de julho de 2019, em que Weber pede ao ministro Paulo Guedes a inclusão no orçamento do Fundo Especial para Financiamento de Campanha de 2020 de R$ 1,2 bilhão para “compensação fiscal para as emissoras pela divulgação de propaganda partidária” de 2018.


PUBLICIDADE



Na mensagem publicada pelo presidente, ele ressaltou ainda que fake news seria “passível de até oito anos de cadeia (após veto derrubado pelo Congresso)”, o que pareceu uma indireta à confusão entre Eduardo Bolsonaro e Kataguiri no início da semana.

No início da semana, o deputado do MBL foi favorável à derrubada de um veto do presidente em um projeto que previa a denunciação caluniosa com fins eleitorais, punição que Kim defende que exista. Nas redes, Eduardo Bolsonaro interpretou que a medida defendida pelo parlamentar do MBL “vai calar exatamente aqueles que não divulgam fake news” e que Kim viabilizou esse instrumento.

Kim, por outro lado, tem explicado que o que defende não tem a ver com a criminalização de quem espalha notícias falsas despropositadamente, mas apenas para quem o faz conscientemente e visando tirar proveito eleitoral. Em resposta a Bolsonaro, Kim Kataguiri afirmou que o presidente “sabe que está mentindo” e o desafiou a prendê-lo.

“Se o senhor diz que é verdade [que fake news dá prisão], então manda me prender com base na lei da denunciação caluniosa. Crime em flagrante. Duvido. Não vai mandar porque sabe que está mentindo. Cinismo”, disse.

★ ★ ★

Nós criamos o Boletim da Liberdade porque acreditamos em um jornalismo sério, independente e de viés liberal. Você pode ajudar esse projeto.

Para que possamos manter e melhorar nossa missão de organizar, divulgar e apurar informações de interesse público, tornando-as acessíveis para todos, precisamos da sua ajuda. Se você é um entusiasta do Boletim, colabore fazendo uma assinatura. Com menos de R$ 10 ao mês, você ajuda a viabilizar um jornalismo mais plural e democrático no Brasil e tem acesso a conteúdos exclusivos.

Apoie a mídia independente: curta nossa página.


Comentários


Receba nosso conteúdo por e-mail



Leia também
error: Não é permitida a reprodução do conteúdo sem prévia autorização.