fbpx
PUBLICIDADE


Partido Novo envia carta para Temer e solicita audiência para tratar de salários

Carta foi protocolada no Palácio do Planalto, sede da Presidência da República, e é consequência de uma intensa campanha e abaixo assinado liderado pelo Partido Novo contra projeto de aumento salarial

- Publicado no dia
Presidente Michel Temer deve vetar ou sancionar aumento de salário (Foto: Jornal Pequeno/John Cutrim)

O Partido Novo protocolou nesta sexta-feira (9) uma carta ao presidente Michel Temer pedindo o veto ao PLC 27/2016, que prevê aumento salarial para o Poder Judiciário.

No texto, assinado pelo presidente do partido, Moisés Jardim, a legenda lista vários argumentos pelos quais Temer deveria vetar. Dentre eles, a Lei de Responsabilidade Fiscal, que prevê que é “nulo de pleno direito o ato de que resulte aumento de despesa com pessoal” nos 180 dias anteriores ao fim de um mandato. Em menos de dois meses, Temer encerra seu governo.


PUBLICIDADE



Em nota, o partido afirma que cumpre sua “função institucional de zelar por um país que não privilegie determinadas categorias em detrimento dos demais cidadãos brasileiros”.

“Anexamos os mais de dois milhões de adesões de brasileiros ao abaixo-assinado que reivindicam que o Presidente vete integralmente o projeto. O NOVO ainda solicitou uma audiência com o Presidente da República para defender a decisão de veto e entregar em mãos o abaixo-assinado”, diz a nota, publicada nas redes sociais.

Foto: Reprodução/Facebook

[irp posts=”20732″ name=”NOVO, MBL e Livres se posicionam contra aumento salarial do STF”]

★ ★ ★

Nós criamos o Boletim da Liberdade porque acreditamos em um jornalismo sério, independente e de viés liberal. Você pode ajudar esse projeto.

Para que possamos manter e melhorar nossa missão de organizar, divulgar e apurar informações de interesse público, tornando-as acessíveis para todos, precisamos da sua ajuda. Se você é um entusiasta do Boletim, colabore fazendo uma assinatura. Com menos de R$ 10 ao mês, você ajuda a viabilizar um jornalismo mais plural e democrático no Brasil e tem acesso a conteúdos exclusivos.

Apoie a mídia independente: curta nossa página.


Comentários


Receba nosso conteúdo por e-mail



Leia também
error: Não é permitida a reprodução do conteúdo sem prévia autorização.