SOBRE     ASSINE     NEWSLETTER     FACEBOOK     TWITTER     YOUTUBE



‘A luta deve ser contra o governo, não contra o povo’, defende João Amoêdo

Pré-candidato à presidência da república pelo Partido Novo comentou na tarde desta quinta-feira (24) sobre a grande paralisação dos caminhoneiros, que se arrasta pelo quarto dia e já causa desabastecimento

- Publicado no dia
Foto: Boletim da Liberdade

O pré-candidato a presidente da República João Amoêdo (NOVO) manifestou-se sobre a greve dos motoristas de caminhão na tarde desta quinta-feira (24). Em texto publicado no Facebook, o engenheiro disse que a paralisação é “similar ao sentimento de muitos brasileiros”, mas observou que a “luta deve ser contra o governo e não contra o povo brasileiro”.

Amoêdo listou no texto alguns dos problemas que, segundo ele, geraram a situação atual, que já gera desabastecimento nas cidades.

Entre eles, estariam “um governo inchado, que demanda altos impostos”, que “não se antecipa na solução dos problemas” e também pela existência de uma empresa estatal que “ainda detém o monopólio no Brasil e impede a concorrência e novos entrantes”.


PUBLICIDADE



Para o pré-candidato, que também fundou o Partido Novo, os problemas podem ser resolvidos pelo corte de gastos, que possibilitaria corte de impostos; pela privatização da Petrobrás e o aumento da concorrência e, por fim, a “atração de investimentos em novos meios de transporte e fontes de energia”.

+ Sindicalista reclama que preço do combustível no Brasil varia de acordo com o mercado internacional

+ Por causa da greve, MBL propõe medidas para reduzir preço dos combustíveis

Apoie a mídia independente: curta nossa página.


Seja um assinante e receba nosso conteúdo por Whatsapp


Seja um mantenedor com uma doação única de qualquer valor

Comentários

Receba nosso conteúdo por e-mail



Leia também