fbpx
PUBLICIDADE

Maultasch: ‘Ainda estamos pagando a dívida institucional dos últimos generais’

Diplomata e ex-diretor do Livres comentou publicamente em seu perfil no Facebook sobre a possibilidade de uma nova intervenção militar no Brasil; segundo ele, é preciso 'rejeitar saídas antiliberais'
Foto: Reprodução/Facebook
Foto: Reprodução/Facebook

Ex-diretor de tecnologia do Livres, o diplomata Gustavo Maultasch manifestou-se publicamente no início da tarde desta quarta-feira (4) sobre a possibilidade de uma intervenção militar caso o STF aceite o habeas corpus do ex-presidente Lula.  Ele sugeriu que seus leitores “não caiam na tentação autoritária”. [1]

Segundo Maultasch, “toda ditadura destrói a formação de líderes” e  “só sobrevivem os medíocres ou coniventes”. ” É sobretudo por causa da ditadura militar que sofremos com a classe política corrupta e vulgar que temos hoje. Ainda estamos pagando a dívida institucional dos últimos generais no poder”, disse.

O diplomata frisou que o STF “tem a prerrogativa institucional de soltar criminosos, se assim bem entender” e que embora seja “ruim e errado soltar bandido”, é “o que temos para hoje em termos de instituições”.





“O custo de destruir (e futuramente reconstruir) instituições civis é maior do que o custo atual de sua ineficiência. Temos de rejeitar saídas antiliberais, não importa de que lado venham”, opinou.

Confira, abaixo, a publicação na íntegra:

Especulação ganhou força após tweet





A especulação sobre uma nova intervenção militar no Brasil ganhou força após um comentário no Twitter na noite desta terça-feira (3) do Comandante do Exército Brasileiro, general Villas Boas.

A poucas horas das manifestações que eclodiram Brasil afora para pedir a prisão do ex-presidente Lula, o militar escreveu que “o Exército Brasileiro julga compartilhar o anseio de todos os cidadãos de bem de repúdio à impunidade e de respeito à Constituição, à paz social e à Democracia”. Ao fim, sem especificar, afirmou que a Força “se mantém atenta às suas missões institucionais”.

Compartilhe essa notícia:




O Boletim da Liberdade tem um propósito: reportar diariamente fatos sobre a liberdade no Brasil e no mundo…

mas nós precisamos da sua ajuda para continuar esse trabalho.

➡ Se você consome e aprecia nosso conteúdo, considere fazer uma assinatura. Com a sua contribuição mensal, você ajuda a manter o site no ar (os custos são realmente altos) e ainda possibilita o nosso crescimento. Além disso, recebe benefícios exclusivos. Temos vários projetos na mesa que só serão viabilizados com maior quantidade de assinantes. Saiba mais e assine agora mesmo.

➡ Siga e interaja em nossas redes sociais (Facebook, Twitter e Instagram), inscreva-se em nossa newsletter gratuita semanal e entre em nosso grupo do WhatsApp para recebimento de conteúdos.

Colunas mais recentes

Assine o Boletim da Liberdade e receba todas as segundas-feiras a coluna Panorama