fbpx
PUBLICIDADE

Prescrição do processo de Lula: advogado responde a questões sobre o tema

Bruno Fernandes, doutorando em Direito Penal pela USP e sócio-fundador da Braga e Fernandes Advogados, explicou mais detalhes sobre como funciona a prescrição de processos no Brasil
Foto: Reprodução
PUBLICIDADE

A prescrição admitida pelo Ministério Público Federal no processo relacionado ao tríplex do ex-presidente Lula gerou um crescente interesse no tema, bem como reações na sociedade e no mundo político com críticas às regras brasileiras.

PUBLICIDADE

Para explicar com mais detalhes o assunto, o Boletim da Liberdade ouviu o advogado criminalista Bruno Fernandes, doutorando em Direito Penal pela Universidade de São Paulo (USP).

Na breve entrevista que se segue, Fernandes explica também as mudanças nas regras de prescritibilidade após o réu completar 70 anos (Lula tem 76) e avalia que o Brasil não tem um sistema mais brando do que os demais países.

“As pessoas deveriam se preocupar mais com que o processo corra dentro da legalidade e em um prazo razoável do que com a prescrição prevista na lei”, disse.

Leia também:  Liberais criticam artigo de Mantega que representou visão econômica de Lula

Confira:

Boletim da Liberdade: O Ministério Público Federal decidiu não oferecer nova denúncia no caso do tríplex atribuído ao ex-presidente Lula. Como funciona o processo de prescrição?

Bruno Fernandes: A prescrição ocorre quando o lapso temporal entre alguns acontecimentos do processo é maior do que o que a lei permite. Basta imaginar que não se pode imaginar que o Estado possa perseguir alguém a qualquer tempo por fatos muito antigos. Então, a lei estabelece alguns marcos e regras.

Boletim da Liberdade: Como o fato do ex-presidente ter 76 anos de idade influenciou o processo?

Bruno Fernandes: Quando a pessoa tem mais de 70 anos na data da sentença, os lapsos temporais da prescrição são contados pela metade.

PUBLICIDADE
Leia também:  'Sou pessimista', diz João Amoêdo sobre possível vitória da 'Terceira Via'

Boletim da Liberdade: A prescrição surgiu após um longo processo e muitos brasileiros e influenciadores se manifestaram destacando a sensação de impunidade. Quais reformas seriam possíveis para evitar essa percepção causada pela prescrição?

Bruno Fernandes: A prescrição, quando ocorre, é fruto da incapacidade estatal de processar adequadamente a pessoa. Portanto, a única solução é a melhor organização do Estado para processar e julgar crimes.

Boletim da Liberdade: O Brasil tem um sistema brando de prescrição por corrupção, se comparado a outros países?

Bruno Fernandes: Não acho. Inclusive a partir de 2010 houve uma mudança que dificultou o reconhecimento da prescrição, o que a meu juízo foi uma mudança ruim. As pessoas deveriam se preocupar mais com que o processo corra dentro da legalidade e em um prazo razoável do que com a prescrição prevista na lei.

Compartilhe essa notícia:

Obrigado por ter lido até aqui.

O Boletim da Liberdade tem um propósito: reportar diariamente fatos sobre a liberdade no Brasil e no mundo…

mas nós precisamos da sua ajuda para continuar esse trabalho.

Se você consome e aprecia nosso conteúdo, considere fazer uma assinatura. Com a sua contribuição, você ajuda a manter o site no ar (os custos são realmente altos) e ainda possibilita o nosso crescimento. Além disso, recebe benefícios exclusivos. Temos vários projetos na mesa que só serão viabilizados com maior quantidade de assinantes. Saiba mais e assine agora mesmo.

MARCAS APOIADORAS

Assine o Boletim da Liberdade e receba todas as segundas-feiras a coluna Panorama

error: Não é permitida a reprodução do conteúdo sem prévia autorização.
Are you sure want to unlock this post?
Unlock left : 0
Você tem certeza que deseja cancelar sua assinatura?