fbpx
PUBLICIDADE

Barroso atende pedido e suspende portaria polêmica do Ministério do Trabalho

Ministro do Supremo Tribunal Federal avaliou que não se enquadra a não-vacinação a outros casos de práticas discriminatórias e que STF já avaliou ser constitucional a compulsoriedade
Ministro Roberto Barroso durante sessão plenária do STF (Foto: Carlos Moura/SCO/STF)
PUBLICIDADE

O ministro Luís Roberto Barroso, do STF, concedeu uma liminar nesta sexta-feira (12) em que suspende parte da portaria do Ministério do Trabalho da última semana que proibia até empresas privadas de demitirem funcionários que não se vacinaram contra Covid-19. [1]

PUBLICIDADE

Como reportado pelo Boletim da Liberdade, a portaria previa, por outro lado, que o empregador exigisse exames recorrentes destes funcionários que comprovassem a não-infecção.

Em sua argumentação, Barroso considerou que não haveria prática discriminatória ao impedir acesso de não-vacinados, não sendo, portanto, caso similar a “raça, cor, estado civil, situação familiar, deficiência, reabilitação profissional, idade ou gravidez”.

PUBLICIDADE

“Esses últimos fatores não interferem sobre o direito à saúde ou à vida dos demais empregados da companhia ou de terceiros. A falta de vacinação interfere”, frisou o magistrado.

Leia também:  Senado aprova nome de André Mendonça ao STF

O ministro também destacou que o Supremo Tribunal Federal já “reconheceu a legitimidade da vacinação compulsória” em momento anterior, sendo afastada apenas a possibilidade de “vacinação com o uso da força”.

O STF foi provocado a se manifestar sobre a portaria após Arguições de Descumprimento de Preceito Fundamental (ADPF) protocoladas pela Rede Sustentabilidade, Partido Socialista Brasileiro, Partido dos Trabalhadores e pelo Partido Novo.

Confira, abaixo, a decisão na íntegra do ministro Barroso divulgada publicamente no site do Supremo:

ADPF898-Liminar
Compartilhe essa notícia:

Obrigado por ter lido até aqui.

O Boletim da Liberdade tem um propósito: reportar diariamente fatos sobre a liberdade no Brasil e no mundo…

mas nós precisamos da sua ajuda para continuar esse trabalho.

Se você consome e aprecia nosso conteúdo, considere fazer uma assinatura. Com a sua contribuição, você ajuda a manter o site no ar (os custos são realmente altos) e ainda possibilita o nosso crescimento. Além disso, recebe benefícios exclusivos. Temos vários projetos na mesa que só serão viabilizados com maior quantidade de assinantes. Saiba mais e assine agora mesmo.

MARCAS APOIADORAS

Assine o Boletim da Liberdade e receba todas as segundas-feiras a coluna Panorama

error: Não é permitida a reprodução do conteúdo sem prévia autorização.
Are you sure want to unlock this post?
Unlock left : 0
Você tem certeza que deseja cancelar sua assinatura?