fbpx
PUBLICIDADE


Alberto Fernández diz que se define como um ‘liberal de esquerda’

Presidente eleito da Argentina se identifica, como a maioria dos políticos do país, com o legado do populista, mas faz questão de se incluir na tradição do liberalismo

- Publicado no dia
Alberto Fernández, presidente eleito da Argentina (Foto: Reuters)

O presidente eleito da Argentina, Alberto Fernández, tendo Cristina Kirchner como vice, tentou sinalizar moderação nesta segunda-feira (28), depois de demonstrar apoio à libertação do ex-presidente Lula. Ele disse que se vê como um “liberal de esquerda” – ou, mais especificamente, um “liberal progressista peronista”. [1]

“Acredito nas liberdades individuais e acho que o Estado tem que estar presente para o que o mercado precisar”, definiu. “E sou um peronista. Estou inaugurando o braço do liberalismo progressista peronista”. Vitorioso com quase 48%¨dos votos, Fernández é amigo pessoal da família Kirchner e membro do Partido Justicialista, fundado por Juan Domingos Perón.


PUBLICIDADE



A declaração pode soar paradoxal para muitos, já que o general Juan Domingos Perón, a figura política histórica mais influente da Argentina, inspirou o movimento do peronismo ou justicialismo, que é normalmente considerado uma variante do populismo latino-americano e, portanto, antiliberal. Um de seus eixos era a legislação trabalhista, tal como no regime do ditador brasileiro Getúlio Vargas.

O empresário Maurício Macri, ainda presidente e derrotado na tentativa de se reeleger, chegou ao poder com o discurso de promover reformas liberais. Porém, sua gestão não surtiu os efeitos desejados e, ainda em abril, ele havia anunciado medidas intervencionistas como o congelamento de preços. Fernández propõe reduzir taxas de juro e estimular o comércio e o consumo, o que desperta críticas dos economistas liberais. [2][3]

★ ★ ★

Se você acompanha e aprecia o trabalho jornalístico do Boletim da Liberdade, e valoriza a importância de existir um veículo profissional com viés liberal, pedimos que:

➡ Considere fazer uma assinatura solidária ao Boletim. Com uma contribuição mensal, você ajuda que o site continue no ar e possibilita o nosso crescimento. Além disso, recebe benefícios exclusivos. Temos vários projetos na mesa que só serão viabilizados com maior quantidade de assinantes. Saiba mais e assine agora mesmo.

➡ Siga nossas redes sociais (Facebook, Twitter e Instagram), inscreva-se em nossa newsletter gratuita semanal e entre em nosso grupo do WhatsApp para recebimento de conteúdos. Curta nossas publicações, compartilhe-as para seus amigos e fale do site para conhecidos e familiares liberais. Toda ajuda faz diferença.

Curta nossa página no Facebook

Notícias no WhatsApp
O sexto grupo do Boletim da Liberdade no WhatsApp está com vagas abertas. É por tempo limitado. Entre apenas caso tenha interesse em notícias sobre política e economia com um viés liberal. Clique aqui para entrar.
Siga-nos no Twitter

Comentários


Receba nosso conteúdo por e-mail



error: Não é permitida a reprodução do conteúdo sem prévia autorização.