fbpx
PUBLICIDADE

Trump admite que parou ataque ao Irã minutos antes: ‘não era proporcional’

Presidente dos Estados Unidos desabafou no Twitter sobre a medida revelada pelo jornal 'The New York Times', criticou o ex-presidente Barack Obama e afirmou ainda que o Irã nunca poderá ter armas nucleares
Donald Trump (Foto: Reprodução / Sky News)
Donald Trump (Foto: Reprodução / Sky News)

Após a divulgação pelo jornal The New York Times de que os Estados Unidos por pouco não atacaram o Irã na madrugada desta sexta-feira (21), o presidente Donald Trump manifestou-se no Twitter sobre a razão de ter recuado. Ele também defendeu ainda que o Irã “nunca tenha armas nucleares”. [1]

“O presidente Obama fez um desesperado e terrível acordo com o Irã. Deu a eles 150 bilhões de dólares, mais 1,8 bilhão em dinheiro vivo. O Irã estava encrencado e ele [Obama] o salvou. Deu-lhes um livre para obterem armas nucleares – e em breve. Em vez de dizer obrigado, o Irã gritou ‘Morte à América'”, escreveu.

Trump confirmou ainda os Estados Unidos chegaram a se preparar para um ataque. “Mas quando eu perguntei quantos morreriam, um general me respondeu que eram 150. 10 minutos antes do ataque, eu decidi pará-lo. Não era proporcional a um ataque a um avião não-tripulado”, disse Trump, referindo-se à derrubada pelo Irã de uma aeronave militar norte-americana estimada em US$ 130 milhões e cuja localização é debatida entre os países.





“Não tenho pressa, nosso Exército está reconstruído, novo e pronto para avançar. De longe, é o melhor do mundo. Mais sanções serão aplicadas. O Irã nunca poderá ter armas nucleares contra os Estados Unidos e contra o resto do mundo”, concluiu.





O Boletim da Liberdade tem um propósito: reportar diariamente fatos sobre a liberdade no Brasil e no mundo…

mas nós precisamos da sua ajuda para continuar esse trabalho.

➡ Se você consome e aprecia nosso conteúdo, considere fazer uma assinatura. Com a sua contribuição mensal, você ajuda a manter o site no ar (os custos são realmente altos) e ainda possibilita o nosso crescimento. Além disso, recebe benefícios exclusivos. Temos vários projetos na mesa que só serão viabilizados com maior quantidade de assinantes. Saiba mais e assine agora mesmo.

➡ Siga e interaja em nossas redes sociais (Facebook, Twitter e Instagram), inscreva-se em nossa newsletter gratuita semanal e entre em nosso grupo do WhatsApp para recebimento de conteúdos.

Colunas mais recentes

Assine o Boletim da Liberdade e receba todas as segundas-feiras a coluna Panorama