PUBLICIDADE


RS: Ostermann quer melhorar critérios de entrega de medalha da ALERS

Medalha Mérito Farroupilha já foi entregue a personalidades como Jean Wyllys e Cesare Battisti, cujos serviços ao Rio Grande do Sul são até agora desconhecidos; Fabio Ostermann é filiado ao Partido Novo

- Publicado no dia
Deputado Fabio Ostermann é ex-diretor do Instituto Liberal (Foto: Marcelo Bertani | Agência ALRS)

Principal comenda da Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul, a Medalha do Mérito Farroupilha foi utilizada, nos últimos anos, para condecorar personalidades controversas – como, por exemplo, o assassino confesso italiano Cesare Battisti. Agora, essa farra pode terminar por iniciativa do deputado estadual gaúcho Fabio Ostermann (NOVO), uma das principais lideranças do movimento liberal no Brasil. [1][2][3]

Em projeto de resolução da última quarta-feira (17), Ostermann sinaliza que as propostas de premiação estão gerando “inúmeras contestações dentre os pares e, inclusive, da própria opinião pública e da mídia” devido ao “cunho nitidamente político-ideológico” das indicações.


PUBLICIDADE



Na justificativa, o parlamentar esclarece que essa não deveria ser a finalidade da honraria e poderia comprometer a homenagem em si, além da “imagem institucional” do parlamento gaúcho. Ao fim, propõe medidas mais duras para a concessão do prêmio.

Se aprovada, a resolução que Ostermann criará, dentre outras regras, a obrigatoriedade de o parlamentar justificar ao propor um indicado ao prêmio os “serviços prestados ao Estado do Rio Grande do Sul ou ao seu povo”, a limitação de até cinco homenagens “durante o exercício do cargo” e, por fim, o mais importante: só será homenageado quem obtiver a concordância da maioria absoluta dos votos do plenário.

Frente Parlamentar pelo Livre Mercado

No início de abril, Fabio liderou também a criação de uma Frente Parlamentar em Defesa do Livre Mercado na ALERS. A iniciativa foi inspirada na similar do Congresso Nacional liderada pelo deputado federal Kim Kataguiri (DEM/SP) e aderida por diversos parlamentes de viés liberal, entre os quais os do Partido Novo.

★ ★ ★

Nós criamos o Boletim da Liberdade porque acreditamos em um jornalismo sério, independente e de viés liberal. Você pode ajudar esse projeto.

Para que possamos manter e melhorar nossa missão de organizar, divulgar e apurar informações de interesse público, tornando-as acessíveis para todos, precisamos da sua ajuda. Se você é um entusiasta do Boletim, colabore fazendo uma assinatura ou fazendo uma doação de qualquer valor. Contamos com você para viabilizar um jornalismo mais plural e democrático no Brasil.

Apoie a mídia independente: curta nossa página.


Seja um assinante e receba nosso conteúdo por Whatsapp


Seja um mantenedor com uma doação única de qualquer valor


Comentários

Receba nosso conteúdo por e-mail



Leia também
error: Não é permitida a reprodução do conteúdo sem prévia autorização.