fbpx
PUBLICIDADE

Rodrigo Maia defende que STF deve ser respeitado

O presidente da Câmara dos Deputados acredita que os parlamentares deveriam, como ele, "respeitar de forma muito contundente" a instituição máxima do Judiciário
Rodrigo Maia (Marcelo Camargo / Agência Brasil)
Rodrigo Maia (Marcelo Camargo / Agência Brasil)

A decisão do STF, por 6 votos a 5, de transferir para a Justiça Eleitoral os casos de crimes como corrupção e lavagem de dinheiro que estejam vinculados ao crime de caixa 2, bem como de abrir um inquérito para apurar ataques aos ministros e à instituição, não caiu bem para muitos setores da sociedade. O presidente da Câmara, Rodrigo Maia, porém, defendeu os ministros neste sábado (16). [1]

Para Rodrigo Maia, não é aceitável o tom adotado por parlamentares ao comentar a atuação dos ministros do STF. “Muitas vezes o Supremo pode tomar uma decisão que, pessoalmente, não me agrade, mas isso não significa que eu não vou respeitar de forma muito contundente a decisão da maioria do plenário do Supremo Tribunal Federal”, disse depois de um almoço com o presidente da República, Jair Bolsonaro, e alguns ministros do STF, como o próprio Dias Toffoli.

O Movimento Brasil Livre convocou a população para atos neste domingo (17) contra a decisão do STF e para pressionar o Poder Legislativo a levar adiante projetos de lei que a neutralizam. Um desses projetos foi protocolado por deputados ligados ao próprio movimento, Kim Kataguiri (DEM-SP) e Jerônimo Goergen (PP-RS).





Compartilhe essa notícia:




O Boletim da Liberdade tem um propósito: reportar diariamente fatos sobre a liberdade no Brasil e no mundo…

mas nós precisamos da sua ajuda para continuar esse trabalho.

➡ Se você consome e aprecia nosso conteúdo, considere fazer uma assinatura. Com a sua contribuição mensal, você ajuda a manter o site no ar (os custos são realmente altos) e ainda possibilita o nosso crescimento. Além disso, recebe benefícios exclusivos. Temos vários projetos na mesa que só serão viabilizados com maior quantidade de assinantes. Saiba mais e assine agora mesmo.

➡ Siga e interaja em nossas redes sociais (Facebook, Twitter e Instagram), inscreva-se em nossa newsletter gratuita semanal e entre em nosso grupo do WhatsApp para recebimento de conteúdos.

Colunas mais recentes

Assine o Boletim da Liberdade e receba todas as segundas-feiras a coluna Panorama