fbpx
PUBLICIDADE


Bia Kicis: ‘a partir de janeiro, Bolsonaro poderá pedir intervenção militar no STF’

Aliada de primeira hora de Jair Bolsonaro e deputada federal eleita, Bia Kicis fez alusão ao artigo 142 da Constituição Federal que prevê que as Forças Armadas podem ser chamadas para a garantia da ordem

- Publicado no dia
Exército Brasileiro em operação no Rio de Janeiro (Foto: Agência O Globo)

Deputada federal eleita pelo PRP e uma das primeiras ativistas dos movimentos populares a declarar apoio a Bolsonaro, Bia Kicis divulgou nesta quarta-feira (19) nas redes sociais uma mensagem especulando a possibilidade de Bolsonaro pedir “intervenção militar no STF” após empossado.

“Só lembrando: a partir de 1º/1/19, Jair Bolsonaro será Chefe de Poder e poderá pedir a intervenção militar no STF”, escreveu. [1]

Por ter demarcado a data como uma possibilidade legal, Kicis provavelmente se referia ao artigo 142 da Constituição Federal. Diz a norma:

“As Forças Armadas […] são instituições nacionais permanentes e regulares, organizadas com base na hierarquia e na disciplina, sob a autoridade suprema do Presidente da República, e destinam-se à defesa da Pátria, à garantia dos poderes constitucionais e, por iniciativa de qualquer destes, da lei e da ordem.”


PUBLICIDADE



Bolsonaro se manifesta

O presidente eleito Jair Bolsonaro se manifestou sobre os acontecimentos desta quarta-feira (19) que quase culminaram na soltura de Lula e mais de 100 mil condenados em segunda instância apenas após a suspensão da liminar de Marco Aurélio Mello, decretada pelo ministro Dias Toffoli.

Em breve mensagem nas redes sociais, parabenizou o “presidente do Supremo Tribunal Federal”, sem citá-lo nominalmente, por “derrubar a liminar que poderia beneficiar dezenas de milhares de presos” e “colocar em risco o bem estar da nossa soceidade, que já sofre diariamente com o caos e a violência generalizada”. [2]

+ ÚLTIMAS VAGAS: Curso de Introdução de Liberalismo abre vagas para a primeira turma por tempo limitado

★ ★ ★

Se você acompanha e aprecia o trabalho jornalístico do Boletim da Liberdade, e valoriza a importância de existir um veículo profissional com viés liberal, pedimos que:

➡ Considere fazer uma assinatura solidária ao Boletim. Com uma contribuição mensal, você ajuda que o site continue no ar e possibilita o nosso crescimento. Além disso, recebe benefícios exclusivos. Temos vários projetos na mesa que só serão viabilizados com maior quantidade de assinantes. Saiba mais e assine agora mesmo.

➡ Siga nossas redes sociais (Facebook, Twitter e Instagram), inscreva-se em nossa newsletter gratuita semanal e entre em nosso grupo do WhatsApp para recebimento de conteúdos. Curta nossas publicações, compartilhe-as para seus amigos e fale do site para conhecidos e familiares liberais. Toda ajuda faz diferença.

Curta nossa página no Facebook

Notícias no WhatsApp
O Boletim da Liberdade abriu mais um grupo no WhatsApp para recebimento de conteúdos especiais. Mas entre logo: é por tempo limitado. Participe apenas caso tenha interesse em notícias sobre política e economia com um viés liberal. Clique aqui para entrar.
Siga-nos no Twitter

Comentários


Receba nosso conteúdo por e-mail



PUBLICIDADE
error: Não é permitida a reprodução do conteúdo sem prévia autorização.