fbpx
PUBLICIDADE


Bia Kicis: ‘a partir de janeiro, Bolsonaro poderá pedir intervenção militar no STF’

Aliada de primeira hora de Jair Bolsonaro e deputada federal eleita, Bia Kicis fez alusão ao artigo 142 da Constituição Federal que prevê que as Forças Armadas podem ser chamadas para a garantia da ordem

- Publicado no dia
Exército Brasileiro em operação no Rio de Janeiro (Foto: Agência O Globo)

Deputada federal eleita pelo PRP e uma das primeiras ativistas dos movimentos populares a declarar apoio a Bolsonaro, Bia Kicis divulgou nesta quarta-feira (19) nas redes sociais uma mensagem especulando a possibilidade de Bolsonaro pedir “intervenção militar no STF” após empossado.

“Só lembrando: a partir de 1º/1/19, Jair Bolsonaro será Chefe de Poder e poderá pedir a intervenção militar no STF”, escreveu. [1]

Por ter demarcado a data como uma possibilidade legal, Kicis provavelmente se referia ao artigo 142 da Constituição Federal. Diz a norma:

“As Forças Armadas […] são instituições nacionais permanentes e regulares, organizadas com base na hierarquia e na disciplina, sob a autoridade suprema do Presidente da República, e destinam-se à defesa da Pátria, à garantia dos poderes constitucionais e, por iniciativa de qualquer destes, da lei e da ordem.”


PUBLICIDADE



Bolsonaro se manifesta

O presidente eleito Jair Bolsonaro se manifestou sobre os acontecimentos desta quarta-feira (19) que quase culminaram na soltura de Lula e mais de 100 mil condenados em segunda instância apenas após a suspensão da liminar de Marco Aurélio Mello, decretada pelo ministro Dias Toffoli.

Em breve mensagem nas redes sociais, parabenizou o “presidente do Supremo Tribunal Federal”, sem citá-lo nominalmente, por “derrubar a liminar que poderia beneficiar dezenas de milhares de presos” e “colocar em risco o bem estar da nossa soceidade, que já sofre diariamente com o caos e a violência generalizada”. [2]

★ ★ ★

Nós criamos o Boletim da Liberdade porque acreditamos em um jornalismo sério, independente e de viés liberal. Você pode ajudar esse projeto.

Para que possamos manter e melhorar nossa missão de organizar, divulgar e apurar informações de interesse público, tornando-as acessíveis para todos, precisamos da sua ajuda. Se você é um entusiasta do Boletim, colabore fazendo uma assinatura. Com menos de R$ 10 ao mês, você ajuda a viabilizar um jornalismo mais plural e democrático no Brasil e tem acesso a conteúdos exclusivos.

Apoie a mídia independente: curta nossa página.


Comentários


Receba nosso conteúdo por e-mail



Leia também
error: Não é permitida a reprodução do conteúdo sem prévia autorização.