fbpx
PUBLICIDADE

Liberais reagem contra possibilidade de Alckmin retornar com imposto sindical

Especulação de que o tucano teria negociado defender uma alternativa ou a volta do imposto sindical por apoio eleitoral foi muito criticada por expoentes do movimento liberal
O governador Geraldo Alckmin foi um dos convidados do evento da corrente "PSDB: Esquerda pra Valer", ocorrido em outubro. (Foto: Reprodução/Facebook)
O governador Geraldo Alckmin foi um dos convidados do evento da corrente “PSDB: Esquerda pra Valer”, ocorrido em outubro. (Foto: Reprodução/Facebook)

A informação de que o pré-candidato à presidência da República Geraldo Alckmin (PSDB) teria negociado, para obter o apoio do “Centrão” – base fisiológica do Congresso Nacional -, uma alternativa ou o retorno do imposto sindical não foi bem digerida entre expoentes do movimento liberal. [1]

Helio Beltrão, presidente do Instituto Mises Brasil, manifestou-se publicamente em seu perfil no Facebook de que “não há hipótese de um liberal apoiar um candidato que defenda reverter uma das pouquíssimas conquistas liberais na era republicana”. [2]





Em anexo à publicação, Beltrão publicou a foto onde Alckmin aparece com um agasalho estampado com o logotipo de várias estatais, datada das eleições de 2006, quando tentou afastar a imagem de privatista.

O pré-candidato à presidência do NOVO, João Amoêdo, também manifestou-se contrário à volta do imposto. Em sua página no Facebook, afirmou que não se pode “retroceder e colocar, novamente, mais uma conta para o trabalhador brasileiro”, sobretudo “por troca de favores políticos.” [3]

Ao jornal Estado de S. Paulo, o deputado federal Rodrigo Maia (DEM), um dos expoentes do “Centrão” e presidente da Câmara dos Deputados, explicou, porém, que não está em pauta a volta da antiga contribuição obrigatória.

“O que se quer é uma coisa intermediária entre o abuso do passado e o nada do presente”, argumentou.





O caminho mais defendido entre os expoentes do “Centrão” é que “acordos coletivos” por categoria possam deliberar o total de contribuição de todos os trabalhadores da área. Na prática, a medida seria uma nova imposição de contribuição a trabalhadores pouco engajados.

Compartilhe essa notícia:




O Boletim da Liberdade tem um propósito: reportar diariamente fatos sobre a liberdade no Brasil e no mundo…

mas nós precisamos da sua ajuda para continuar esse trabalho.

➡ Se você consome e aprecia nosso conteúdo, considere fazer uma assinatura. Com a sua contribuição mensal, você ajuda a manter o site no ar (os custos são realmente altos) e ainda possibilita o nosso crescimento. Além disso, recebe benefícios exclusivos. Temos vários projetos na mesa que só serão viabilizados com maior quantidade de assinantes. Saiba mais e assine agora mesmo.

➡ Siga e interaja em nossas redes sociais (Facebook, Twitter e Instagram), inscreva-se em nossa newsletter gratuita semanal e entre em nosso grupo do WhatsApp para recebimento de conteúdos.

Colunas mais recentes

Assine o Boletim da Liberdade e receba todas as segundas-feiras a coluna Panorama