SOBRE     ASSINE     NEWSLETTER     FACEBOOK     TWITTER     YOUTUBE



Bolsonaro reage a acusação de Lindbergh de que representa o ‘neofascismo’

Bolsonaro foi responsabilizado, junto a Moro e à Rede Globo, por ataques a acampamento pró-Lula, e respondeu com um rápido diagnóstico sobre o petista

- Publicado no dia
(Foto: Dida Sampaio / Estadão)

Neste sábado (28), a Polícia Civil do Paraná obteve imagens de câmeras de segurança mostrando um agressor fazendo disparos contra um acampamento de manifestantes pró-Lula durante a madrugada. Segundo a procuradoria-geral, duas pessoas estão feridas. O senador petista Lindbergh Farias repercutiu o caso e não perdeu a oportunidade de envolver o nome do deputado Jair Bolsonaro (PSL-RJ).

Externando indignação, Lindbergh fez questão de ressaltar que estiveram envolvidas na hostilidade “pessoas que gritavam ‘Bolsonaro'” e que isso seria a prova do “surgimento do neofascismo com força” no Brasil, em consequência direta do “golpe” que teria sido tramado contra o governo petista da ex-presidente Dilma Rousseff. O senador afirma que a “campanha de ódio da Rede Globo”, que vem “demonizando a esquerda brasileira”, também é responsável pela violência cometida. Afirmou que Bolsonaro e Sérgio Moro são culpados: o primeiro pelo seu “discurso de intolerância”, o segundo pela “campanha feita contra o presidente Lula, contra o PT, contra as esquerdas desse país”.

Bolsonaro replicou o vídeo contendo as acusações de Lindbergh com um comentário-resposta introdutório – mas bem mais curto do que se poderia esperar. O parlamentar se limitou a dizer: “O senador Lindbergh Farias sabe que, mais cedo ou mais tarde, fará companhia a Lula. Assista ao seu desespero”. Confira:


PUBLICIDADE



Apoie a mídia independente: curta nossa página.


Seja um assinante e receba nosso conteúdo por Whatsapp


Seja um mantenedor com uma doação única de qualquer valor

Comentários

Receba nosso conteúdo por e-mail



Leia também