SOBRE     ASSINE     NEWSLETTER     FACEBOOK     YOUTUBE



RJ: Ativista liberal critica projeto que impõe livre trânsito de personal trainers

Segundo o ativista, que é coordenador municipal do MBL no Rio de Janeiro, a medida é uma intervenção do governo no mercado e que poderia ser resolvida espontaneamente

- Publicado no dia
Foto: Marcos Serra Lima / EGO

Um projeto de lei de um deputado estadual do Rio de Janeiro foi alvo de uma crítica do ativista Renato Borges, coordenador municipal do MBL na cidade. O PL nº 1352/2016 propõe que as academias sejam obrigadas a permitir o ingresso gratuito de profissionais de educação física para orientar seus clientes, estando isentos de qualquer tipo de cobrança incidida tanto sobre o profissional, quanto para os matriculados. [1]

Na redação do projeto, poderão usufruir desse benefício apenas profissionais graduados em educação física e registrados no Conselho Regional da categoria. O PL também não impõe um limite máximo de profissionais que poderão acompanhar um único aluno, mas prevê punição para as empresas que barrem o ingresso dos profissionais.


PUBLICIDADE


Para Borges, a medida é uma intervenção inadequada do governo no mercado. “É melhor deixar que o mercado resolva esse problema espontaneamente, através da oferta e da demanda. Se as pessoas acham um absurdo essa cobrança ser feita, os usuários podem mudar para a concorrência. É melhor que as empresas reflitam mercadologicamente o interesse e a vontade das pessoas”, opina, alertando também que a medida pode aumentar os valores cobrados nas academias.

+ RJ: deputados aprovam lei que iguala preços de bebidas geladas e em temperatura ambiente

Apoie a mídia independente: curta nossa página.


Seja um assinante e receba nosso conteúdo por Whatsapp


Seja um mantenedor com uma doação única de qualquer valor

Comentários

Receba nosso conteúdo por e-mail




Leia também