PUBLICIDADE


Em entrevista ao ‘Pânico’, Amoêdo fala o quanto precisa pontuar nas pesquisas

Pré-candidato à presidência da república tem uma meta bem definida para que sua candidatura ganhe maior projeção nos meios de comunicação; engenheiro terá apenas sete segundos no horário eleitoral gratuito

- Publicado no dia
Foto: Reprodução/YouTube

Em entrevista nesta sexta-feira (16) ao programa Pânico na Rádio, transmitido pela Jovem Pan, o pré-candidato à presidência da república pelo NOVO, João Amoêdo, afirmou que o grande desafio de sua pré-candidatura será alcançar os 5% nas pesquisas eleitorais.

“O nosso grande desafio e o nosso grande objetivo é chegar nos 5%. Chegando nos 5%, você passa a poder participar dos debates [na televisão] e tem outro [tipo de] cobertura na televisão”, disse, subentendendo que aí sua futura campanha ganhará outro tipo de projeção.


PUBLICIDADE



O engenheiro deu essa resposta quando perguntado sobre o tempo de televisão que teria disponível no horário eleitoral: apenas sete segundos. Segundo ele, o trabalho da pré-candidatura no momento é fazê-la mais conhecida. “O problema do NOVO é que ele é ainda pouco conhecido. Porque o partido existe há dois anos e pouco, pois foi oficializado no final de 2015, e eu nunca fui político”, concluiu.

Em outubro, João Amoêdo já computava 1% das intenções de voto segundo pesquisa Datafolha.  Em janeiro, o Boletim da Liberdade entrevistou Amoêdo com exclusividade. Assista:

Já que você está aqui...

... Nós temos um pequeno favor para lhe pedir. O Boletim da Liberdade é um projeto jornalístico independente, de viés liberal, mantido por jornalistas sérios e responsáveis.

Por isso, o conteúdo do Boletim não é influenciado por donos bilionários, políticos, partidos ou qualquer outro grupo de pressão. Somos abertos a críticas, mas também não nos movemos pela militância organizada e minorias barulhentas. Isso é importante porque damos voz na imprensa para quem se importa com a construção de um país admirável e marcado pelas liberdades individuais e econômicas.

Muitas pessoas estão lendo o Boletim da Liberdade gratuitamente graças aos nossos assinantes. No entanto, nós entendemos que nossa missão não é colocar um paywall que bloqueie os leitores que não pagam. Por isso, precisamos da sua ajuda para seguir operando.

Para possamos seguir adiante, precisamos aumentar nossa base de assinantes (o custo é a partir de R$ 29,30 por trimestre) e mantenedores, que podem colaborar a partir de R$ 2,00. Para ajudar, leva apenas poucos minutos. Obrigado.
★ ★ ★

Nós criamos o Boletim da Liberdade porque acreditamos em um jornalismo sério, independente e de viés liberal. Você pode ajudar esse projeto.

Para que possamos manter e melhorar nossa missão de organizar, divulgar e apurar informações de interesse público, tornando-as acessíveis para todos, precisamos da sua ajuda. Se você é um entusiasta do Boletim, colabore fazendo uma assinatura ou fazendo uma doação de qualquer valor. Contamos com você para viabilizar um jornalismo mais plural e democrático no Brasil.

Apoie a mídia independente: curta nossa página.


Seja um assinante e receba nosso conteúdo por Whatsapp


Seja um mantenedor com uma doação única de qualquer valor


Comentários

Receba nosso conteúdo por e-mail



Leia também
error: Não é permitida a reprodução do conteúdo sem prévia autorização.