fbpx
PUBLICIDADE

Convite para ser vice-presidente teria balançado Luciano Bivar a oferecer o PSL

Informação obtida pelo Boletim da Liberdade dá conta de que Jair Bolsonaro teria convencido Luciano Bivar com um convite irrecusável; com o Livres, presidente da legenda se sentia desprestigiado
Foto: Reprodução SportClub e Câmara dos Deputados
Foto: Reprodução SportClub e Câmara dos Deputados

O deputado federal Jair Bolsonaro deve se encontrar nesta sexta-feira (5) com o presidente nacional do PSL, o também deputado Luciano Bivar. De acordo com o jornal Folha de S. Paulo, há grande expectativa de que se chegue aos termos finais da inusitada filiação, que poria abaixo o projeto da corrente de renovação Livres, que anunciava que assumiria o controle da legenda em breve. [1]

Dentre os pontos que já estariam acertados é a necessidade de mudança do nome do partido com a eventual vinda de Bolsonaro. Segundo a revista Época, os dois lados já chegaram, inclusive, a debater nomes como “Mobiliza” ou “Republicano” para marcarem essa nova fase. [2]

Informações obtidas com exclusividade pelo Boletim da Liberdade dão mais detalhes sobre os bastidores desse negociata. Fundador e líder do partido, Luciano Bivar – que seria escanteado em caso de ascensão do Livres (frequentemente, seus ativistas o chamaram de representante do “velho” nas redes sociais) – teria sido convidado a assumir o posto de vice-presidente na chapa de Bolsonaro à presidência, segundo colocado nas pesquisas eleitorais.





Segundo a mesma fonte, líderes do Livres, ao contrário do que pregavam antes, não têm mais certeza sobre o futuro do projeto de renovação do PSL – iniciado no final em 2015. Dependendo de como for o desfecho do caso, que deve ocorrer nos próximos dias ou semanas, os líderes do Livres planejam fazer com que as lideranças do movimento se movam em bloco a outro partido. Dentre os destinos possíveis, estaria o PPS.

A novela

A ída de Bolsonaro ao PSL pegou todos de surpresa. No entanto, o que antes parecia especulação, começou-se a tornar mais concreto depois que Luciano Bivar declarou à revista Época que seria “um orgulho” recebê-lo na legenda, mesmo após as redes do PSL – controladas pelo Livres – negarem a possibilidade.

A movimentação, sem dúvida, representa um duro golpe no movimento político liberal que prometia renovar o PSL – renovação essa que nunca foi completa e sequer chegou a assumir o controle total do partido. O Livres nunca escondeu forte oposição à Jair Bolsonaro, inclusive por meio de charges, e buscou durante sua existência posicionar-se como defensor do liberalismo econômico e das liberdades individuais, como a legalização da maconha.





Em dezembro, após a primeira declaração de Bolsonaro que estaria “90% fechado com o PSL” devido a discordâncias com o PEN/Patriota, Bolsonaro chegou a ser chamado de “vigarista” por criar um “factóide” para “se alavancar nas suas barganhas obscuras” por lideranças do Livres.

Compartilhe essa notícia:




O Boletim da Liberdade tem um propósito: reportar diariamente fatos sobre a liberdade no Brasil e no mundo…

mas nós precisamos da sua ajuda para continuar esse trabalho.

➡ Se você consome e aprecia nosso conteúdo, considere fazer uma assinatura. Com a sua contribuição mensal, você ajuda a manter o site no ar (os custos são realmente altos) e ainda possibilita o nosso crescimento. Além disso, recebe benefícios exclusivos. Temos vários projetos na mesa que só serão viabilizados com maior quantidade de assinantes. Saiba mais e assine agora mesmo.

➡ Siga e interaja em nossas redes sociais (Facebook, Twitter e Instagram), inscreva-se em nossa newsletter gratuita semanal e entre em nosso grupo do WhatsApp para recebimento de conteúdos.

Colunas mais recentes

Assine o Boletim da Liberdade e receba todas as segundas-feiras a coluna Panorama