SOBRE     ASSINE     NEWSLETTER     FACEBOOK     TWITTER     YOUTUBE



Frota faz declaração polêmica sobre venezuelanos no Brasil e gera reações

Ator sugeriu que os brasileiros tomassem uma atitude contra os venezuelanos que encontrassem no Brasil, já que o governo brasileiro não teria tomado nenhuma atitude em relação ao brasileiro preso por Maduro

- Publicado no dia
Foto: Divulgação

O ator e ativista político Alexandre Frota fez uma declaração no mínimo polêmica no último dia 31 em seu perfil no Twitter. Inconformado com a prisão de um brasileiro na Venezuela, que teria sido acusado de trabalhar para a CIA, Frota afirmou que “se o Itamaraty não vai intervir e nada será feito”, ele tinha uma sugestão: “dar uma resposta aqui mesmo do Brasil com (sic) o primeiro venezuelano que encontrarmos”. [1] [2]

Para muitos internautas, tratou-se de uma apologia ao crime e ao ódio. O jornalista Carlos Andreazza, editor da Editora Record e radialista da Jovem Pan, considerou a declaração uma “vergonha”. “Se bobear, ainda vira ministro em 19”, provocou em seu perfil no Facebook. [3]


PUBLICIDADE



Para Pedro Rafael, internacionalista e filho de venezuelana, a declaração foi infeliz. “A maioria dos venezuelanos fora do país hoje são devido à crise local e não por desejarem”, disse ao Boletim da Liberdade, complementando que a comunidade brasileira e internacional faz em peso oposição ao regime de Maduro. “Em eleições passadas, a [chapa de] situação nunca passou de 10% na votação feita no Rio de Janeiro”, disse.

Alexandre Frota

Ao longo dos últimos anos, Alexandre Frota tem tentado construir uma imagem de liderança nas redes sociais com conteúdo alinhado à direita no Brasil. Autodenominado líder do “Movimento Contra Corrupção”, que conta com mais de 3,4 milhões de seguidores no Facebook, e dono de uma página própria com quase 700 mil curtidas, recentemente Frota se viu em uma polêmica ao disputar a marca “Movimento Brasil Livre”.


PUBLICIDADE



Em declaração ao programa “Pânico na Rádio” em novembro, Frota falou do assunto e envolveu até mesmo o cientista político Fabio Ostermann, uma das principais lideranças do PSL/Livres, na polêmica. Ouvido pelo Boletim, Ostermann desmentiu as declarações de Frota, afirmando que o ator “caiu de paraquedas” no assunto e que ele não teria o menor interesse na marca.

Apoie a mídia independente: curta nossa página.


Seja um assinante e receba nosso conteúdo por Whatsapp


Seja um mantenedor com uma doação única de qualquer valor

Comentários

Receba nosso conteúdo por e-mail



Leia também