Panorama #1 - Vem aí a Juventude Lacerdista - Coluna Panorama - Boletim da Liberdade
PUBLICIDADE

Panorama #1 – Vem aí a Juventude Lacerdista

21.07.2019 05:20

Um grupo de jovens lançou no Rio de Janeiro a “Juventude Lacerdista”. Na liderança do movimento, o advogado Fernando Fernandes, assessor parlamentar do deputado estadual Rodrigo Amorim (PSL/RJ) e ex-funcionário do Instituto Liberal. Carlos Lacerda, como se sabe, foi deputado federal, governador da Guanabara e a principal liderança política de direita da República Nova (1945-1964).

Vem aí a Juventude Lacerda 2

Ao Boletim da Liberdade, Fernandes garantiu que o projeto é suprapartidário. “Nosso propósito é reunir pessoas para influenciar ativamente o futuro do Rio, seja lançando candidatos, seja na educação política”, disse.

Lacerda em voga

A LVM Editora, do empresário Helio Beltrão e do editor Alex Catharino, aliás, está de olho nas obras lançadas por Carlos Lacerda. Já há, inclusive, negociação sobre os direitos com a família.

Lacerda em voga 2

Outro grupo do meio liberal lançará nos próximos meses uma série sobre personalidades históricas do Brasil. O primeiro episódio será também sobre Carlos Lacerda e as gravações terão início nessa semana.

Reforma insuficiente

Para um economista de São Paulo que o Boletim da Liberdade conversou, vão se frustrar aqueles que acreditaram que a reforma da Previdência por si só já faria o país crescer, embora necessária e relevante. O crescimento no governo Bolsonaro deve girar, segundo ele, em torno de 2-3% anuais se não vierem acompanhadas de outras amplas reformas estruturantes. Caso se confirme a recuperação econômica lenta, o cenário político para 2022 é incerto.

Impunidade

Decisão do ministro Edson Fachin, de junho, determinou que o governo do Rio de Janeiro soltasse algumas centenas de menores infratores em decorrência da falta de vagas no sistema de internação. Dentre os soltos, estariam até menores que participaram de homicídios.

Impunidade 2

A equipe do governador Wilson Witzel (PSC) corre para criar de 800 a 1.000 vagas especiais para esses jovens – algo que em até 2 anos deve ser concretizado. Roberto Motta, último secretário de segurança pública do Rio, afirmou ao Boletim da Liberdade que há um trabalho de mobilizar a máquina do governo para “fazer da criação de vagas uma questão prioritária”.

Impunidade 3

Caso a PEC que prevê a redução da maioridade penal ande no Senado, como defendido pela frente parlamentar dedicada ao tema liderada pelo deputado federal Carlos Jordy (PSL/RJ), o problema da soltura dos infratores seria “resolvido completamente”, analisa Motta. “Com essa PEC, a gente passa a poder tratar criminoso como criminoso”, opina, avaliando porém que há um outro problema grave no sistema prisional no estado. “São entre 20 e 30 mil vagas que precisam ser construídas”.

Novo RenovaBR

De olho nas eleições municipais de 2020, o RenovaBR, projeto liderado pelo empresário Eduardo Mufarej, confirmou na última semana os novos selecionados para o principal programa de renovação de quadros para a política brasileira. Ao todo, foram cerca de 1.000 aceitos – lista que inclui tanto ex-candidatos como, outra vez, membros de vários movimentos suprapartidários.

Novo RenovaBR 2.0

Diferente do ocorrido em 2018, contudo, os selecionados não receberão bolsas de estudo (que, naquele ano, era de R$ 5 mil mensais). Outra mudança é que o curso de formação será 100% online, dispensando as viagens a São Paulo. Apenas os mais destacados serão promovidos para uma segunda etapa em 2020. Dentre os eleitos formados na primeira turma do RenovaBR estão os deputados federais Lucas Gonzalez (NOVO/MG), Vinicius Poit (NOVO/SP), Tiago Mitraud (NOVO/MG) e Paulo Ganime (NOVO/RJ).

Mais desenvolvimento

Gustavo Montezuma, novo presidente do BNDES, tem anunciado que o banco agora será mais desenvolvimento e menos banco. O que ele quer dizer com isso é outra história.

A dúvida é quando

Em Brasília, não é segredo que o juiz Marcelo Bretas deve ser o “terrivelmente” evangélico escolhido por Bolsonaro. Qualquer decisão fora disso será uma surpresa. O maior desafio, contudo, é saber quem Bolsonaro nomeará primeiro – o combalido Sérgio Moro, que pode enfrentar resistência no Senado, ou o juiz carioca.

Vai atrasar

Apesar de marcada para o dia 6 de agosto, a votação em segundo turno da PEC da reforma da Previdência deve atrasar alguns dias.

Não perca nossas colunas

Receba a Coluna Panorama e outros conteúdos especiais do Boletim da Liberdade direto no seu WhatsApp. Para isso, clique aqui e envie-nos uma mensagem. Depois, adicione nosso contato ao número do seu celular.


Foto: Reprodução/Facebook