fbpx
PUBLICIDADE

Amoêdo reage contra suposta pressão do presidente da CEF

Na avaliação do fundador do NOVO, é "inaceitável" suposta medida de Pedro Guimarães, presidente da Caixa, denunciada por jornal
(Foto: Marcos Corrêa / Wikimedia)
PUBLICIDADE

Fundador do Partido Novo, João Amoêdo reagiu nesta terça-feira (31)  nas redes sociais à especulação de que o presidente da Caixa, Pedro Guimarães, teria pressionado instituições bancárias a não subscreverem nota crítica ao governo. [1][2]

PUBLICIDADE

“Um governo que diz defender a liberdade, mas que, na prática, faz justamente o contrário. Mais uma ação inaceitável”, reclamou.

De acordo com o que tem sido veiculado na imprensa, houve grande esforço a fim de se abafar uma nota que seria divulgada pela Febraban que pediria “pacificação dos poderes” – o que soaria como uma crítica ao governo.

PUBLICIDADE

De acordo com a jornalista Malu Gaspar, do jornal “O Globo”, o presidente da estatal teria até mesmo sugerido, em conversa com presidentes de outros bancos, “que eles poderiam ser excluídos de negócios com o governo […] caso assinassem o documento”.

Compartilhe essa notícia:
Leia também:  Marcel revela incômodo sobre comunicações políticas de curto prazo do NOVO

Leu até aqui? Siga nas redes!

MARCAS APOIADORAS

Podcast

O Boletim da Liberdade tem um propósito: reportar diariamente fatos sobre a liberdade no Brasil e no mundo…

mas nós precisamos da sua ajuda para continuar esse trabalho.

Se você consome e aprecia nosso conteúdo, considere fazer uma assinatura. Com a sua contribuição mensal, você ajuda a manter o site no ar (os custos são realmente altos) e ainda possibilita o nosso crescimento. Além disso, recebe benefícios exclusivos. Temos vários projetos na mesa que só serão viabilizados com maior quantidade de assinantes. Saiba mais e assine agora mesmo.

Colunas mais recentes

Assine o Boletim da Liberdade e receba todas as segundas-feiras a coluna Panorama