fbpx
PUBLICIDADE

Com base em parecer jurídico, Pacheco recusa impeachment de Moraes

Presidente do Senado Federal diz ter se embasado no parecer técnico do Senado, que destacou que não cabe à Casa avaliar o mérito das decisões judiciais
Foto: Marcos Brandão/Senado Federal
PUBLICIDADE

O presidente do Senado Federal, Rodrigo Pacheco, determinou na noite desta quarta-feira (25) o arquivamento do pedido de impeachment contra o ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal. [1]

PUBLICIDADE

O pedido havia sido apresentado pelo presidente Jair Bolsonaro em gesto de reação às cobranças que eram a ele direcionadas para uma resposta à escalada de tensão entre a corte, o Poder Executivo e seus aliados.

Na decisão, Pacheco diz se respaldar no parecer jurídico feito pelo próprio Senado, argumentando “não estar presente a justa causa para o processamento” da denúncia.

De acordo com a Constituição Federal, o Senado tem a prerrogativa para processar e até cassar ministros do Supremo em caso de crime de responsabilidade.

Leia também:  Moro cogita mandatos para ministros do Supremo, diz jornal

O parecer

No parecer, ao qual o Boletim da Liberdade teve acesso – e que vai anexado ao fim desta matéria -, os advogados do Senado salientam que não é “constitucionalmente permitido que seja analisado o mérito de decisões” do STF em decorrência da “independência das funções estatais”.

“As críticas à decisão judicial podem ser consideradas legítimas, e até desejáveis, do ponto de vista da liberdade de expressão e do exercício da cidadania e da democracia. No entanto, de plano, constata-se não se revelarem aptas a deflagrar o processo de impeachment da autoridade judicial”, disse o texto, que destaca ainda riscos do impeachment ter “consequências políticas” por “se tratar de insurgência contra ato jurisdicional” e que “acarretaria desbalanceamento dos mecanismos de  freios e contrapesos”.

Leia também:  Alexandre de Moraes é o brasileiro do ano, diz revista

“Não se pode pretender punir alguém por exercer as funções do cargo que ocupa, por mais que seja legítimo discordar de tal atuação e adotar os meios de impugnação disponíveis no âmbito processual”, destacou o parecer, que ressaltou ainda que as decisões judiciais do Inquérito 4.781 “conta com decisões fundamentadas”.

Parecer Impeachment Alexandre de Moraes
Compartilhe essa notícia:

Obrigado por ter lido até aqui.

O Boletim da Liberdade tem um propósito: reportar diariamente fatos sobre a liberdade no Brasil e no mundo…

mas nós precisamos da sua ajuda para continuar esse trabalho.

Se você consome e aprecia nosso conteúdo, considere fazer uma assinatura. Com a sua contribuição, você ajuda a manter o site no ar (os custos são realmente altos) e ainda possibilita o nosso crescimento. Além disso, recebe benefícios exclusivos. Temos vários projetos na mesa que só serão viabilizados com maior quantidade de assinantes. Saiba mais e assine agora mesmo.

MARCAS APOIADORAS

Assine o Boletim da Liberdade e receba todas as segundas-feiras a coluna Panorama

error: Não é permitida a reprodução do conteúdo sem prévia autorização.
Are you sure want to unlock this post?
Unlock left : 0
Você tem certeza que deseja cancelar sua assinatura?