fbpx
PUBLICIDADE

Guedes sugere dividendos de estatais distribuídos para o cidadão

Em entrevista concedida a um jornal paulista, ministro da Economia admitiu ter havido "redução de aderência ao plano liberal" do governo, mas pontuou "custo benefício" de ficar
Paulo Guedes (Foto: Wilson Dias/Agência Brasil)

O ministro da Economia, Paulo Guedes, disse em entrevista publicada nesta segunda-feira (24) ao jornal “Folha de S. Paulo” que uma possibilidade de programa social é a distribuição de dividendos das estatais direto ao cidadão.

A afirmação surgiu após Guedes defender, dentro do contexto de políticas sociais, a transferência direta de recursos “em vez de criar um aparato estatal”.

Essa teria sido, segundo ele, uma das lições aprendidas com a pandemia – a outra seria que “o que protege a população é uma classe política que trabalha seus orçamentos”.





“O presidente não quer tirar do pobre para dar ao paupérrimo. Então, vamos devolver as estatais ao povo brasileiro. Cada estatal vendida dá ganho de capital para o povo. E se não vender? Pega um pedaço dos dividendos e coloca para eles. Cria um fundo de distribuição de riqueza, capitalismo popular. Isso está formulado e pronto”, disse.

Ataque

Ao longo da entrevista, Guedes também afirmou que o governo atuou “na defesa nos três primeiros anos, controlando despesas” mas que, com as eleições, “vamos para o ataque”.

Como exemplos, mencionou melhorias no Bolsa Família e a criação de programas como o Bônus de Inclusão Produtiva e o Bônus de Incentivo à Qualificação.

“Vai ter uma porção de coisa boa para vocês baterem palma. Tudo certinho, feito com seriedade, sem furar teto, sem confusão”, prometeu.





O ministro também afirmou que “claro que houve uma redução de aderência ao plano liberal” no governo, mas que há o “custo benefício” de, mesmo assim, ele permanecer.

“Se saio porque estão pedindo para substituir um presidente de estatal por inabilidade política, será que teria acontecido a independência do BC, a aprovação do marco do gás, Lei de Falências, saneamento, privatização da Eletrobras? Tem seis ou sete ganhos expressivos”, sustentou.

Compartilhe essa notícia:




O Boletim da Liberdade tem um propósito: reportar diariamente fatos sobre a liberdade no Brasil e no mundo…

mas nós precisamos da sua ajuda para continuar esse trabalho.

➡ Se você consome e aprecia nosso conteúdo, considere fazer uma assinatura. Com a sua contribuição mensal, você ajuda a manter o site no ar (os custos são realmente altos) e ainda possibilita o nosso crescimento. Além disso, recebe benefícios exclusivos. Temos vários projetos na mesa que só serão viabilizados com maior quantidade de assinantes. Saiba mais e assine agora mesmo.

➡ Siga e interaja em nossas redes sociais (Facebook, Twitter e Instagram), inscreva-se em nossa newsletter gratuita semanal e entre em nosso grupo do WhatsApp para recebimento de conteúdos.

Colunas mais recentes

Assine o Boletim da Liberdade e receba todas as segundas-feiras a coluna Panorama