fbpx
PUBLICIDADE

Dallagnol critica decisão do STF: ‘Não havia como desenvolver um processo que não fosse anulado’

Procurador da República que coordenou Lava Jato em Curitiba analisou criticamente o sistema judiciário que levou a anulação das condenações de Lula: 'privilegia a insegurança jurídica'
Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

Ex-coordenador da força tarefa do Ministério Público Federal na Operação Lava Jato, o procurador Deltan Dallagnol criticou a decisão do Supremo Tribunal Federal que confirmou a anulação das condenações do ex-presidente Lula (PT) no caso.

Na avaliação dele, a decisão “expõe uma face de um sistema de justiça criminal disfuncional”, pois “se o caso do ex-presidente Lula tivesse tramitado em Brasília, teria sido anulado também”.

“Ou seja, o desenho do sistema brasileiro o torna um jogo de perde-perde para a sociedade”, pontuou, relembrando que o Superior Tribunal de Justiça já havia determinado que a Justiça Federal de Curitiba, à época comandada por Sérgio Moro, julgasse o caso.





“Se tivesse tramitado em Brasília, o STJ teria anulado o caso em habeas corpus, em decisão contra a qual não caberia recurso – concessão de HC é irrecorrível”, destacou.

Para o procurador, olhando o resultado agora, “não havia como desenvolver um processo que não fosse anulado, o que favorece a prescrição e a impunidade – o sistema de justiça é extremamente irracional, para a frustração de quem busca justiça no país da corrupção”.

“O apego a argumentos técnicos sobre competência territorial, que sempre podem ser formulados em diferentes direções, gira a roda de um sistema irracional que favorece a impunidade e desfavorece a justiça”, concluiu. [1]

Ao todo, foram favoráveis à anulação das condenações do ex-presidente sofridas na Justiça Federal de Curitiba 8 dos 11 ministros: Edson Fachin, Ricardo Lewandoski, Gilmar Mendes, Rosa Weber, Alexandre de Moraes, Dias Toffoli, Cármen Lúcia e Luís Roberto Barroso. Votaram contra os ministros Nunes Marques, Marco Aurélio e Luiz Fux.









O Boletim da Liberdade tem um propósito: reportar diariamente fatos sobre a liberdade no Brasil e no mundo…

mas nós precisamos da sua ajuda para continuar esse trabalho.

➡ Se você consome e aprecia nosso conteúdo, considere fazer uma assinatura. Com a sua contribuição mensal, você ajuda a manter o site no ar (os custos são realmente altos) e ainda possibilita o nosso crescimento. Além disso, recebe benefícios exclusivos. Temos vários projetos na mesa que só serão viabilizados com maior quantidade de assinantes. Saiba mais e assine agora mesmo.

➡ Siga e interaja em nossas redes sociais (Facebook, Twitter e Instagram), inscreva-se em nossa newsletter gratuita semanal e entre em nosso grupo do WhatsApp para recebimento de conteúdos.

Colunas mais recentes

Assine o Boletim da Liberdade e receba todas as segundas-feiras a coluna Panorama