fbpx
PUBLICIDADE

Livres reage contra nota do Ministério da Defesa sobre regime militar

Associação liberal reforçou que 31 de março de 1964 deve ser encarado como um Golpe de Estado e que "ditadura não se celebra, mas se repudia"
Militantes do PSL Livres em ato de "Fora Temer", no início de 2017 (Foto: Divulgação)

A associação liberal Livres criticou a nota publicada na noite da última terça-feira (30) pelo Ministério da Defesa em alusão aos 57 anos do início do regime militar de 1964, completados nesta quarta (31).

Na avaliação do grupo, “ditadura não se celebra”, mas sim “se repudia”, e que os mencionados “movimentos” foram, na prática, um Golpe de Estado.

“A memória daqueles tristes anos deve ser usada para reafirmar o compromisso democrático de jamais repeti-los”, pontuou o Livres nas redes sociais.





Contexto

Como noticiado pelo Boletim da Liberdade, a nota emitida pelo Ministério da Defesa e assinada pelo ministro Walter Braga Netto enfatizou o contexto da Guerra Fria e afirmou que “havia ameaça real à paz e à democracia” do Brasil da época.

Sem mencionar episódios de desrespeito aos direitos humanos que foram uma das marcas do regime, o texto oficial afirmou ainda que “as Forças Armadas acabaram assumindo a responsabilidade de pacificar o país, enfrentando os desgastes para reorganizá-lo”.

Desde o primeiro ano do governo Jair Bolsonaro, há esforços no sentido de rememorar o episódio de forma saudosa, reforçando o contexto de apoio social que marcou o início do período e evitando-se o emprego do termo golpe.









O Boletim da Liberdade tem um propósito: reportar diariamente fatos sobre a liberdade no Brasil e no mundo…

mas nós precisamos da sua ajuda para continuar esse trabalho.

➡ Se você consome e aprecia nosso conteúdo, considere fazer uma assinatura. Com a sua contribuição mensal, você ajuda a manter o site no ar (os custos são realmente altos) e ainda possibilita o nosso crescimento. Além disso, recebe benefícios exclusivos. Temos vários projetos na mesa que só serão viabilizados com maior quantidade de assinantes. Saiba mais e assine agora mesmo.

➡ Siga e interaja em nossas redes sociais (Facebook, Twitter e Instagram), inscreva-se em nossa newsletter gratuita semanal e entre em nosso grupo do WhatsApp para recebimento de conteúdos.

Colunas mais recentes

Assine o Boletim da Liberdade e receba todas as segundas-feiras a coluna Panorama