fbpx
PUBLICIDADE


Acolhendo pedido do PDT, Kássio Nunes suspende trecho da Lei da Ficha Limpa

A decisão do ministro se aplica a registros de candidaturas para as eleições 2020 pendentes de análise pelo TSE e o STF; Movimento de Combate à Corrupção Eleitoral reagiu

- Publicado no dia
(Foto: Reprodução/Facebook)

O ministro do STF Kássio Nunes Marques, indicado este ano ao cargo pelo presidente Jair Bolsonaro, decidiu monocraticamente neste domingo (2o) suspender um trecho da Lei da Ficha Limpa. A medida foi solicitada pelo Partido Democrático Trabalhista (PDT). [1]

De acordo com o texto original da lei, todos os condenados, em decisão transitada em julgado (não cabendo mais recursos) ou proferida por órgão judicial colegiado, desde a condenação até o fim do prazo de 8 anos após o cumprimento da pena, são considerados inelegíveis. Kássio Nunes aceitou a solicitação do PDT para suspender a expressão “após o cumprimento da pena”.


PUBLICIDADE



A decisão está restrita a candidaturas para as eleições de 2020 ainda pendentes de análise pelo Tribunal Superior Eleitoral e o STF, não valendo para os demais casos. A medida atinge condenados por crimes como lavagem de dinheiro, tráfico de drogas, contra a administração pública, contra o sistema financeiro, crimes de natureza eleitoral, abuso de autoridade, entre outros.

O Movimento de Combate à Corrupção Eleitoral soltou uma nota afirmando que a Lei da Ficha Limpa “foi exaustivamente julgada quanto à sua constitucionalidade, tanto no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) como no Supremo Tribunal Federal (STF), tendo sido aplicada por 10 anos com farta jurisprudência, demonstrando a sua robustez”. A nota afirma ainda que existe uma “articulação de forças” para “esvaziar a lei”. [2]

★ ★ ★

Se você acompanha e aprecia o trabalho jornalístico do Boletim da Liberdade, e valoriza a importância de existir um veículo profissional com viés liberal, pedimos que:

➡ Considere fazer uma assinatura solidária ao Boletim. Com uma contribuição mensal, você ajuda que o site continue no ar e possibilita o nosso crescimento. Além disso, recebe benefícios exclusivos. Temos vários projetos na mesa que só serão viabilizados com maior quantidade de assinantes. Saiba mais e assine agora mesmo.

➡ Siga nossas redes sociais (Facebook, Twitter e Instagram), inscreva-se em nossa newsletter gratuita semanal e entre em nosso grupo do WhatsApp para recebimento de conteúdos. Curta nossas publicações, compartilhe-as para seus amigos e fale do site para conhecidos e familiares liberais. Toda ajuda faz diferença.

Curta nossa página no Facebook

Notícias no WhatsApp
O Boletim da Liberdade abriu mais um grupo no WhatsApp para recebimento de conteúdos especiais. Mas entre logo: é por tempo limitado. Participe apenas caso tenha interesse em notícias sobre política e economia com um viés liberal. Clique aqui para entrar.
Siga-nos no Twitter

Comentários


Receba nosso conteúdo por e-mail



PUBLICIDADE
error: Não é permitida a reprodução do conteúdo sem prévia autorização.