fbpx
PUBLICIDADE


Paulo Guedes relata esforço para impedir exportação de respiradores

O Ministro da Economia explicou que as iniciativas para garantir os insumos foram feitas com cautela para não prejudicar objetivos estratégicos do país

- Publicado no dia
Foto: (Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil)

O ministro da Economia Paulo Guedes relatou nesta sexta-feira (12) a representantes do setor de comércio e serviços que atuou para bloquear informalmente a exportação de ventiladores pulmonares e outros insumos de combate ao coronavírus. A operação teria sido feita de forma discreta, já que o governo não poderia simplesmente impor uma proibição. [1]

“Trabalhamos muito em tentar aumentar a produção dos ventiladores pulmonares. E aí eu fiz uma medida extracampo porque, na mesma hora, Paraguai… todo mundo pedindo ventilador, máscara… Macedônia, Itália… E aí eu me lembro que liguei para a Receita Federal e falei: ‘Olha, o ministro da Saúde disse que os brasileiros vão morrer por falta de ventilador pulmonar, eu não preciso falar mais nada’. Aí na mesma hora a Receita travou uma exportação aqui, travou outra ali, travou outra ali”, afirmou.


PUBLICIDADE



O ministro da Saúde na época da iniciativa de Paulo Guedes ainda era Luiz Henrique Mandetta. “Então, o negócio foi dramático. Isso aconteceu nesse nível, mas nós fizemos muito discretamente e não foi um negócio assim de ‘não pode exportar’, porque nós não poderíamos fazer isso. O contrato foi fechado legalmente, juridicamente, pode mandar… Mas faz uma operação tartaruga nisso”, complementou Guedes.

O principal motivo para a cautela adotada no esforço do Ministério da Economia foi o receio de que a iniciativa provocasse atrito entre os países, prejudicando objetivos estratégicos importantes do Brasil. Entre esses objetivos, incluem-se o processo de assinatura do acordo com a União Europeia e o de ingresso do país à OCDE.

+ ÚLTIMAS VAGAS: Curso de Introdução de Liberalismo abre vagas para a primeira turma por tempo limitado

★ ★ ★

Se você acompanha e aprecia o trabalho jornalístico do Boletim da Liberdade, e valoriza a importância de existir um veículo profissional com viés liberal, pedimos que:

➡ Considere fazer uma assinatura solidária ao Boletim. Com uma contribuição mensal, você ajuda que o site continue no ar e possibilita o nosso crescimento. Além disso, recebe benefícios exclusivos. Temos vários projetos na mesa que só serão viabilizados com maior quantidade de assinantes. Saiba mais e assine agora mesmo.

➡ Siga nossas redes sociais (Facebook, Twitter e Instagram), inscreva-se em nossa newsletter gratuita semanal e entre em nosso grupo do WhatsApp para recebimento de conteúdos. Curta nossas publicações, compartilhe-as para seus amigos e fale do site para conhecidos e familiares liberais. Toda ajuda faz diferença.

Curta nossa página no Facebook

Notícias no WhatsApp
O Boletim da Liberdade abriu mais um grupo no WhatsApp para recebimento de conteúdos especiais. Mas entre logo: é por tempo limitado. Participe apenas caso tenha interesse em notícias sobre política e economia com um viés liberal. Clique aqui para entrar.
Siga-nos no Twitter

Comentários


Receba nosso conteúdo por e-mail



PUBLICIDADE
Leia também
error: Não é permitida a reprodução do conteúdo sem prévia autorização.