fbpx
PUBLICIDADE


Ministro Barroso reafirma impedimento à expulsão de diplomatas venezuelanos

O ministro considera ilegítimo obrigar os venezuelanos a se deslocarem do país em meio à pandemia, diante da “situação de emergência sanitária”

- Publicado no dia
Ministro Roberto Barroso durante sessão plenária do STF. (Foto: Carlos Moura/SCO/STF)

O ministro do STF Luiz Roberto Barroso se manifestou neste sábado (16) ratificando a decisão liminar que impediu o governo Bolsonaro de expulsar diplomatas venezuelanos do Brasil. O presidente havia determinado a medida contra representantes do país governado pela ditadura de Nicolás Maduro no final de abril. [1]

Se levada a efeito, a medida do governo federal teria banido funcionários venezuelanos da embaixada em Brasília e dos consulados existentes em Belém, Boa Vista, Manaus, Rio de Janeiro e São Paulo. Na liminar anterior, ele tinha concedido ao Itamaraty e à AGU um prazo de dez dias para que justificassem a necessidade urgente da providência.


PUBLICIDADE



Barroso concordou em sua sentença em que o presidente da República tem poderes para promover a expulsão, mas questionou a efetivação dessa medida durante a pandemia do novo coronavírus. “Ilegitimidade da retirada compulsória imediata dos pacientes em meio à pandemia. A situação de emergência sanitária reconhecida pela Organização Mundial de Saúde e pelo Congresso Nacional coloca em risco a integridade física e psíquica dos pacientes, tornando irrazoável a ordem de saída imediata (ou em 48 horas) do território nacional”, afirma.

A Venezuela havia alegado a existência de “pressões desnecessárias” do Planalto para descumprir a ordem da Presidência até Barroso tomar sua decisão. Bolsonaro criticou a liminar de Barroso, afirmando que, atendendo ao pedido do deputado petista Paulo Pimenta (RS), o ministro acolheu as reivindicações de um defensor da ditadura venezuelana. [2]

+ ÚLTIMAS VAGAS: Curso de Introdução de Liberalismo abre vagas para a primeira turma por tempo limitado

★ ★ ★

Se você acompanha e aprecia o trabalho jornalístico do Boletim da Liberdade, e valoriza a importância de existir um veículo profissional com viés liberal, pedimos que:

➡ Considere fazer uma assinatura solidária ao Boletim. Com uma contribuição mensal, você ajuda que o site continue no ar e possibilita o nosso crescimento. Além disso, recebe benefícios exclusivos. Temos vários projetos na mesa que só serão viabilizados com maior quantidade de assinantes. Saiba mais e assine agora mesmo.

➡ Siga nossas redes sociais (Facebook, Twitter e Instagram), inscreva-se em nossa newsletter gratuita semanal e entre em nosso grupo do WhatsApp para recebimento de conteúdos. Curta nossas publicações, compartilhe-as para seus amigos e fale do site para conhecidos e familiares liberais. Toda ajuda faz diferença.

Curta nossa página no Facebook

Notícias no WhatsApp
O Boletim da Liebrdade abriu mais um grupo no WhatsApp para recebimento de conteúdos especiais. Mas entre logo: é por tempo limitado. Participe apenas caso tenha interesse em notícias sobre política e economia com um viés liberal. Clique aqui para entrar.
Siga-nos no Twitter

Comentários


Receba nosso conteúdo por e-mail



PUBLICIDADE
error: Não é permitida a reprodução do conteúdo sem prévia autorização.