fbpx
PUBLICIDADE


‘Ficaram evidências’ de que ministros do STF pediram a parlamentares para não aprovar Lava Toga, diz jornalista

Durante programa de rápido, jornalista e comentarista político avaliou que apenas esse gesto de ministros do Supremo Tribunal Federal já justificaria um processo de impeachment

- Publicado no dia
(Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil)

O jornalista José Maria Trindade, da rádio Jovem Pan, fez um comentário bastante grave nesta sexta-feira (24), no programa “Os Pingos nos Is”, ao analisar matéria publicada no mesmo dia pela revista Veja. Ele ponderou que o processo descrito na matéria deixa evidências de que ministros do STF telefonaram para parlamentares pedindo que não endossassem a abertura da CPI da Lava Toga.

O comentário foi feito depois que o âncora Felipe Moura Brasil abordou a matéria intitulada “O plano do governo para matar a CPI da Lava Toga no Congresso”. Resumindo o conteúdo da reportagem de Veja, Moura Brasil argumentou que há um projeto para fazer com que evidências de parlamentares contra ministros do STF sejam investigadas diretamente pela procuradoria-geral da República, retirando a necessidade de mobilização legislativa.

Moura Brasil lembrou que a Lava Toga não prosperou “com a pressão de Flavio Bolsonaro, que foi revelada pelos seus então companheiros de PSL”. José Maria Trindade comentou: “É muito interessante esse processo, porque ficaram evidências, ficaram declarações de que ministros do Supremo Tribunal Federal ligaram para senadores pedindo para retirar assinaturas ou não assinar o requerimento da abertura da CPI da Lava Toga”.

Para ele, “o simples fato de um ministro do Supremo pegar o telefone e ligar para um senador investigado ou não investigado, mas principalmente investigado, isso já é motivo de impeachment. Isso já é quebra de confiança. Isso já é motivo de CPI”. José Maria Trindade acredita que os procuradores da República não são capazes de enfrentar o STF e isso precisaria “passar pela investigação da CPI”. Confira o vídeo contendo o comentário:


PUBLICIDADE



+ ÚLTIMAS VAGAS: Curso de Introdução de Liberalismo abre vagas para a primeira turma por tempo limitado

★ ★ ★

Se você acompanha e aprecia o trabalho jornalístico do Boletim da Liberdade, e valoriza a importância de existir um veículo profissional com viés liberal, pedimos que:

➡ Considere fazer uma assinatura solidária ao Boletim. Com uma contribuição mensal, você ajuda que o site continue no ar e possibilita o nosso crescimento. Além disso, recebe benefícios exclusivos. Temos vários projetos na mesa que só serão viabilizados com maior quantidade de assinantes. Saiba mais e assine agora mesmo.

➡ Siga nossas redes sociais (Facebook, Twitter e Instagram), inscreva-se em nossa newsletter gratuita semanal e entre em nosso grupo do WhatsApp para recebimento de conteúdos. Curta nossas publicações, compartilhe-as para seus amigos e fale do site para conhecidos e familiares liberais. Toda ajuda faz diferença.

Curta nossa página no Facebook

Notícias no WhatsApp
O Boletim da Liberdade abriu mais um grupo no WhatsApp para recebimento de conteúdos especiais. Mas entre logo: é por tempo limitado. Participe apenas caso tenha interesse em notícias sobre política e economia com um viés liberal. Clique aqui para entrar.
Siga-nos no Twitter

Comentários


Receba nosso conteúdo por e-mail



PUBLICIDADE
error: Não é permitida a reprodução do conteúdo sem prévia autorização.