fbpx
PUBLICIDADE


Guedes avalia novo imposto sobre produtos que fazem mal à saúde

Declaração foi dada em Davos, na Suíça, onde ministro da economia participou de diversos painéis no Fórum Econômico Mundial; Guedes afirmou que solicitou a simulação do tributo ao ministério

- Publicado no dia
Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

O ministro da economia, Paulo Guedes, afirmou nesta quarta-feira (23) que pediu que fosse “simulado” um novo tributo “sobre bens que fazem mal à saúde”. Chamado de “imposto do pecado” pelo executivo, o tributo poderia atingir produtos como cigarrobebidas alcoólicas e aqueles com elevada adição de açúcar, como refrigerantes. [1]

A declaração veio após o ministro fazer um balanço de sua participação no evento no Fórum Econômico Mundial, em Davos, na Suíça.


PUBLICIDADE



Sobre o novo tributo, apesar do modo como o citou, Guedes explicou que não tem a ver com questão de costumes e que a expressão é meramente acadêmica.

★ ★ ★

Se você acompanha e aprecia o trabalho jornalístico do Boletim da Liberdade, e valoriza a importância de existir um veículo profissional com viés liberal, pedimos que:

➡ Considere fazer uma assinatura solidária ao Boletim. Com uma contribuição mensal, você ajuda que o site continue no ar e possibilita o nosso crescimento. Além disso, recebe benefícios exclusivos. Temos vários projetos na mesa que só serão viabilizados com maior quantidade de assinantes. Saiba mais e assine agora mesmo.

➡ Siga nossas redes sociais (Facebook, Twitter e Instagram), inscreva-se em nossa newsletter gratuita semanal e entre em nosso grupo do WhatsApp para recebimento de conteúdos. Curta nossas publicações, compartilhe-as para seus amigos e fale do site para conhecidos e familiares liberais. Toda ajuda faz diferença.

Curta nossa página no Facebook

Notícias no WhatsApp
O sexto grupo do Boletim da Liberdade no WhatsApp está com vagas abertas. É por tempo limitado. Entre apenas caso tenha interesse em notícias sobre política e economia com um viés liberal. Clique aqui para entrar.
Siga-nos no Twitter

Comentários


Receba nosso conteúdo por e-mail



error: Não é permitida a reprodução do conteúdo sem prévia autorização.