fbpx
PUBLICIDADE

Itamaraty pede que diplomatas não prestem condolências a general iraniano

Jornal obteve acesso a 'circular telegráfica' do Ministério das Relações Exteriores em que diplomatas brasileiros são orientados a não irem em cerimônias nem assinarem livros de condolência
Embaixador Ernesto Araújo, ministro das Relações Exteriores (Foto: Wilson Dias/Agência Brasil)
Embaixador Ernesto Araújo, ministro das Relações Exteriores (Foto: Wilson Dias/Agência Brasil)
PUBLICIDADE

Ministério das Relações Exteriores do Brasil, comandado pelo ministro Ernesto Araújo, instruiu formalmente o corpo diplomático brasileiro a não prestar condolências pela morte do general iraniano morto após ataque americano. A informação foi publicada originalmente pelo jornal Folha de S. Paulo. [1]

PUBLICIDADE

Segundo a publicação, a orientação foi dada em “circular telegráfica” e diz que o destinatário “não [deve] comparecer a nenhuma cerimônia em memória do general Qassim Suleimani, ex-comandante da Força Quds iraniana, e de Abu Mahdi al-Muhandas, ex-chefe da milícia Hizbullah, nem assinar livro de condolências em suas homenagens”.

Nesta segunda-feira (6), o Irã chegou a convocar diplomatas brasileiros em Teerã para explicar o posicionamento do país na crise. O mesmo ocorreu com outros países que se manifestaram no episódio de forma dúbia.

PUBLICIDADE

Em nota, o Brasil havia repudiado o terrorismo após a morte do general, o que analistas sugeriram uma referência negativa a Qassim Suleimani. [2][3]

O Brasil foi representado pela encarregada de negócios Maria Cristina Lopes. Em nota, o Itamaraty afirmou que a conversa “transcorreu com cordialidade, dentro da usual prática diplomática”, mas não deu maiores detalhes.

O funeral de Suleimani reuniu milhares de pessoas entre Iraque Irã e lideranças políticas iranianas ameaçam, publicamente, os Estados Unidos em tom de vingança.

Compartilhe essa notícia:




O Boletim da Liberdade tem um propósito: reportar diariamente fatos sobre a liberdade no Brasil e no mundo…

mas nós precisamos da sua ajuda para continuar esse trabalho.

➡ Se você consome e aprecia nosso conteúdo, considere fazer uma assinatura. Com a sua contribuição mensal, você ajuda a manter o site no ar (os custos são realmente altos) e ainda possibilita o nosso crescimento. Além disso, recebe benefícios exclusivos. Temos vários projetos na mesa que só serão viabilizados com maior quantidade de assinantes. Saiba mais e assine agora mesmo.

➡ Siga e interaja em nossas redes sociais (Facebook, Twitter e Instagram), inscreva-se em nossa newsletter gratuita semanal e entre em nosso grupo do WhatsApp para recebimento de conteúdos.

Colunas mais recentes

Assine o Boletim da Liberdade e receba todas as segundas-feiras a coluna Panorama