fbpx
PUBLICIDADE


Analista de segurança nacional diz que ataque dos EUA é ‘começo do fim’ para rede de terror iraniana

A especialista e PHD em Relações Internacionais de Washington afirmou que o gesto do presidente Donald Trump foi ‘preciso e proporcional’

- Publicado no dia
Donald Trump (Foto: Reprodução / O Sul)

O ataque dos EUA em território iraquiano que matou o general do Irã Qassem Soleimani nesta quinta-feira (2) segue sendo objeto de análises e desdobramentos. A analista de segurança nacional e PHD em Relações Internacionais, Rebecca Grant, de Washington, fez nesta sexta-feira (3) uma enfática afirmação: o gesto dos EUA é o “começo do fim” para a “monstruosa rede de terror iraniana”. [1]

A especialista afirmou que o presidente norte-americano Donald Trump transmitiu a “clara mensagem” de que “não há santuário em lugar algum do Iraque para um terrorista iraniano”. Na concepção dela, os EUA tiveram que agir depois do ataque à embaixada do país em Bagdá porque as forças comandadas por Soleimani estavam “preparando mais ataques contra militares e diplomatas americanos” no Iraque ou em outros locais.


PUBLICIDADE



Rebecca também definiu o ataque contra o general como “preciso e proporcional”, ressaltando que o iraniano “já tinha sangue americano em suas mãos”. Ela fez alusão ao histórico de Qassem, recordando que ele conquistou notoriedade na guerra Irã-Iraque da década de 80, que matou mais de meio milhão de pessoas. “É difícil colocar em palavras o quão mau Soleimani era”, sintetizou.

Para ela, embora os ex-presidentes George Bush e Barack Obama soubessem das atividades de Soleimani, a atitude assumida por Donald Trump marca um novo capítulo. O assassinato deliberado do general “mostra a disposição de Trump de usar a força militar para colocar a monstruosa máquina terrorista do Irã de volta em sua caixa”. Ela sentenciou que gesto do presidente desenha “uma América mais segura”.

★ ★ ★

Se você acompanha e aprecia o trabalho jornalístico do Boletim da Liberdade, e valoriza a importância de existir um veículo profissional com viés liberal, pedimos que:

➡ Considere fazer uma assinatura solidária ao Boletim. Com uma contribuição mensal, você ajuda que o site continue no ar e possibilita o nosso crescimento. Além disso, recebe benefícios exclusivos. Temos vários projetos na mesa que só serão viabilizados com maior quantidade de assinantes. Saiba mais e assine agora mesmo.

➡ Siga nossas redes sociais (Facebook, Twitter e Instagram), inscreva-se em nossa newsletter gratuita semanal e entre em nosso grupo do WhatsApp para recebimento de conteúdos. Curta nossas publicações, compartilhe-as para seus amigos e fale do site para conhecidos e familiares liberais. Toda ajuda faz diferença.

Curta nossa página no Facebook

Notícias no WhatsApp
O sexto grupo do Boletim da Liberdade no WhatsApp está com vagas abertas. É por tempo limitado. Entre apenas caso tenha interesse em notícias sobre política e economia com um viés liberal. Clique aqui para entrar.
Siga-nos no Twitter

Comentários


Receba nosso conteúdo por e-mail



error: Não é permitida a reprodução do conteúdo sem prévia autorização.