fbpx
PUBLICIDADE


Marco Aurélio Mello repreende advogada por chamar ministros como ‘vocês’

Ministro da mais alta corte do país interrompeu advogada e reclamou pelo uso do pronome ‘vocês’ aos magistrados; projeto da deputada Carla Zambelli quer que ‘senhor’ seja o termo padrão para todos os cargos

- Publicado no dia
Marco Aurélio Mello (Foto: Divulgação)

O ministro Marco Aurélio Mello, do Supremo Tribunal Federal, repreendeu uma advogada nesta quarta-feira (6) que, em meio a sua sustentação oral, referiu-se aos magistrados como “vocês”. Segundo ele, era preciso ter maior observância à liturgia da corte. [1]

“Presidente, novamente a advogada se dirige aos integrantes do tribunal como vocês? Há de se observar a liturgia. É uma doutora, professora…”, afirmou o magistrado, queixando-se ao presidente do Supremo, ministro Dias Toffoli.

Visivelmente sem graça, a advogada pediu perdão na sequência e o chamou de vossa excelência. “Eu peço escusas. Peço desculpas. Vossa excelência tem toda razão, é o que eu posso fazer no momento”, disse.

Projeto quer padronizar uso do ‘senhor’

Foto: : Michel Jesus/ Câmara dos Deputados

No que depender da deputada federal Carla Zambelli (PSL/SP) e do deputado federal Tiago Miatraud (NOVO/MG), no entanto, as preferências de tratamento do ministro estão com dias contados. Carla protocolou em fevereiro um projeto de lei que dispensa o uso de “vossa excelência” como pronome de tratamento, permitindo os termos “senhor” ou “senhora” até para referir-se ao presidente da República. [2]

Na justificativa, a parlamentar – que, curiosamente, já se deixou fotografar inúmeras vezes com a bandeira monarquista –  ressaltou a natureza do poder republicano, “fundada no poder do povo, para o povo e pelo povo”.

“O tratamento protocolar não pode, de maneira alguma, representar qualquer forma, ranço ou estigma de tirania, de patrimonialismo ou de coronelismo”, salientou ainda a deputada.

Relator do projeto na Comissão de Trabalho, de Administração e Serviço Público, Tiago Mitraud concordou com a ideia e propôs substitutivo que complementou o projeto com outra possibilidade, trazida por projeto similar da deputada federal Joice Hasselmann (PSL/SP), incluindo permissão para o uso de “você” e “tu” por parte de cidadãos comuns a autoridades. [3]

Aprovado por unanimidade, o projeto encontra-se desde setembro na Comissão de Constituição e Justiça da Câmara e aguarda relatoria do deputado federal José Medeiros (PODE-MT). Caso seja aprovado, irá para Plenário da Câmara e, depois, seguirá para o Senado Federal.

★ ★ ★

Se você acompanha e aprecia o trabalho jornalístico do Boletim da Liberdade, e valoriza a importância de existir um veículo profissional com viés liberal, pedimos que:

➡ Considere fazer uma assinatura solidária ao Boletim. Com uma contribuição mensal, você ajuda que o site continue no ar e possibilita o nosso crescimento. Além disso, recebe benefícios exclusivos. Temos vários projetos na mesa que só serão viabilizados com maior quantidade de assinantes. Saiba mais e assine agora mesmo.

➡ Siga nossas redes sociais (Facebook, Twitter e Instagram), inscreva-se em nossa newsletter gratuita semanal e entre em nosso grupo do WhatsApp para recebimento de conteúdos. Curta nossas publicações, compartilhe-as para seus amigos e fale do site para conhecidos e familiares liberais. Toda ajuda faz diferença.

Curta nossa página no Facebook

Notícias no WhatsApp
O sexto grupo do Boletim da Liberdade no WhatsApp está com vagas abertas. É por tempo limitado. Entre apenas caso tenha interesse em notícias sobre política e economia com um viés liberal. Clique aqui para entrar.
Siga-nos no Twitter

Comentários


Receba nosso conteúdo por e-mail



error: Não é permitida a reprodução do conteúdo sem prévia autorização.