fbpx
PUBLICIDADE


Líder do MBL afirma que direita está em seu pior momento desde 2015

Em análise divulgada em vídeo, Renan Santos analisou a ascensão do youtuber Felipe Neto como influenciador do debate público brasileiro e comparou o cenário da direita com o que fez a esquerda perder força

- Publicado no dia
Foto: Reprodução/YouTube

O coordenador nacional do Movimento Brasil Livre, Renan Santos, ponderou em análise divulgada nesta terça-feira (10) que a direita está passando pelo seu “pior momento” desde o início do processo de impeachment. A afirmação se deu em um vídeo em que comenta a saturação das “mitadas” e a possível ascensão do youtuber Felipe Neto como liderança política.

“A direita está numa fase muito ruim. Eu diria que a direita brasileira, desde o nosso começo ali em 2015, está em sua pior fase”, avaliou.


PUBLICIDADE



Na sequência, o estrategista do MBL ponderou que a direita “chegou lá e não sabe bem o que está fazendo” e que “muita gente que foi eleita baseada no recurso da ‘mitada’, não da construção consistente de um trabalho, está usando a ‘mitada’ como um fim em si mesmo para se manter relevante e continuar influenciando o debate, ao ponto de a mitada estar perdendo substância, se tornando inútil e alvo de ataques da esquerda”.

Ao fim, Santos comparou o fenômeno ao que teria levado a própria esquerda a um mau momento no debate público brasileiro.

“É muito parecido com a derrocada da própria esquerda. A esquerda estava ali, no primeiro mandato da Dilma, ‘lacrando’, ‘lacrando’, ‘lacrando’. Isso foi forçando o surgimento de uma direita”, analisou, criticando também a postura do presidente Jair Bolsonaro como alguém que começou a estratégia de apenas ‘mitar’ e cuja estratégia é repetida por todos.

‘Mitar’ e ‘Lacrar’ são expressões utilizadas costumeiramente para definir tiradas do discurso à direita ou à esquerda, geralmente contra seus adversários.

★ ★ ★

Nós criamos o Boletim da Liberdade porque acreditamos em um jornalismo sério, independente e de viés liberal. Você pode ajudar esse projeto.

Para que possamos manter e melhorar nossa missão de organizar, divulgar e apurar informações de interesse público, tornando-as acessíveis para todos, precisamos da sua ajuda. Se você é um entusiasta do Boletim, colabore fazendo uma assinatura. Com menos de R$ 10 ao mês, você ajuda a viabilizar um jornalismo mais plural e democrático no Brasil e tem acesso a conteúdos exclusivos.

Apoie a mídia independente: curta nossa página.


Comentários


Receba nosso conteúdo por e-mail



Leia também
error: Não é permitida a reprodução do conteúdo sem prévia autorização.