fbpx
PUBLICIDADE


Redator da MP da Liberdade Econômica compara Brasil com a Argentina

O presidente da Argentina, Maurício Macri, anunciou um pacote de medidas intervencionistas na economia, sendo uma delas o controle de preços

- Publicado no dia
Gianluca Lorenzon durante palestra em São Paulo sobre MP da Liberdade Economica (Foto: Mario Palhares/IBEF SP)

O advogado Gianluca Lorenzon, redator-chefe da MP da Liberdade Econômica, comentou na tarde desta quarta-feira (14) a situação da Argentina depois da vitória da chapa de Alberto Fernández e Cristina Kirchner nas eleições primárias. Ele criticou o movimento do presidente Maurício Macri de tomar medidas intervencionistas logo após os resultados e pontuou que a Argentina e o Brasil estão caminhando em sentidos opostos.

Em publicação em inglês em seu Twitter, Lorenzon criticou especialmente o anúncio de controle de preços. “A Argentina anunciou hoje mais controles de preços. Ontem a câmara baixa do Congresso brasileiro aprovou nossa Medida Provisória da Liberdade Econômica que garante a liberdade de flutuação de preço. Dois países indo em direções diferentes. O que vai acontecer?”, ele se perguntou.


PUBLICIDADE



As medidas de Macri 

O presidente da Argentina anunciou, nesta quarta-feira (14), um pacote de medidas econômicas que pretendem provocar uma sensação de alívio no eleitorado argentino, que demonstrou, ao conceder expressiva vantagem à oposição (15 pontos percentuais), seu desagrado com os resultados de seu governo. Ele pediu desculpas por atacar diretamente a oposição e sugerir que não respeita a decisão dos argentinos nas urnas. [1]

As medidas incluem um bônus para funcionários públicos, a redução do imposto de renda pago pelos aposentados, o aumento de bolsas para estudantes, o congelamento de preços da gasolina e o aumento do salário mínimo.

★ ★ ★

Nós criamos o Boletim da Liberdade porque acreditamos em um jornalismo sério, independente e de viés liberal. Você pode ajudar esse projeto.

Para que possamos manter e melhorar nossa missão de organizar, divulgar e apurar informações de interesse público, tornando-as acessíveis para todos, precisamos da sua ajuda. Se você é um entusiasta do Boletim, colabore fazendo uma assinatura. Com menos de R$ 10 ao mês, você ajuda a viabilizar um jornalismo mais plural e democrático no Brasil e tem acesso a conteúdos exclusivos.

Apoie a mídia independente: curta nossa página.


Comentários


Receba nosso conteúdo por e-mail



Leia também
error: Não é permitida a reprodução do conteúdo sem prévia autorização.