fbpx
PUBLICIDADE


Em palestra, ex-ministro Ricardo Vélez endossa críticas a seguidores de Olavo

Indicado por Olavo de Carvalho para o Ministério da Educação, Ricardo Vélez criticou a agitação criada pelos seguidores do filósofo e professor e alertou que, no governo, esse clima não é positivo

- Publicado no dia
Ricardo Vélez (Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil)

O ex-ministro Ricardo Vélez-Rodriguez criticou nesta segunda-feira (3) seguidores do professor Olavo de Carvalho em uma palestra em Juiz de Fora (MG) em que o Boletim da Liberdade esteve presente.

Para Vélez, os “olavetes” possuem “um vício pietista” de estarem preocupados com a guerra cultural. “[Eles] precisavam saber que estavam no governo e que, nessa situação, agitação não é algo positivo”, opinou.


PUBLICIDADE



Na exposição, Vélez reforçou as principais críticas feitas ao “Olavismo” especialmente por militares e agentes políticos, que consideram que o núcleo ideológico tem causado turbulências e atrapalhado o governo. Desde que saiu do Ministério, o ex-ministro tem recusado pedidos de entrevista, entre os quais do Boletim da Liberdade.

No evento, denominado de “Colóquio Antero de Quental”, onde foi homenageado, o ex-ministro da Educação também criticou a ausência de um movimento de base de viés liberal no PSL para apoiar as reformas. O intelectual lamentou ainda a ausência de um partido “orgânico” que defenda a ideologia liberal no país.

Vélez: de indicado a ultrajado

Indicado para o Ministério da Educação por Olavo de Carvalho, como já assumido pelo próprio presidente Jair Bolsonaro, a gestão do ministro foi marcada por crises.

Entre elas, quando orientou que colégios pelo Brasil repetissem o slogan de campanha do presidente ou na situação em que foi chamado atenção pela deputada federal Tabata Amaral (PDT/SP). Pouco antes de ser despedido, Olavo chegou a chamar o comportamento do intelectual de “traiçoeiro”.

Após as críticas de Bolsonaro de que a nomeação de Vélez se tratou de um erro, o ex-ministro escreveu no Facebook no último sábado (1º) que “agiu com patriotismo e lealdade ao Presidente e ao Brasil” e listou algumas de suas realizações no governo. Entre elas, “limpar o Ministério da militância partidária e combater a corrupção”.

★ ★ ★

Nós criamos o Boletim da Liberdade porque acreditamos em um jornalismo sério, independente e de viés liberal. Você pode ajudar esse projeto.

Para que possamos manter e melhorar nossa missão de organizar, divulgar e apurar informações de interesse público, tornando-as acessíveis para todos, precisamos da sua ajuda. Se você é um entusiasta do Boletim, colabore fazendo uma assinatura. Com menos de R$ 10 ao mês, você ajuda a viabilizar um jornalismo mais plural e democrático no Brasil e tem acesso a conteúdos exclusivos.

Apoie a mídia independente: curta nossa página.


Comentários


Receba nosso conteúdo por e-mail



Leia também
error: Não é permitida a reprodução do conteúdo sem prévia autorização.