fbpx
PUBLICIDADE


‘Não imaginava que seria tão difícil’, diz Bolsonaro sobre presidência

Presidente Jair Bolsonaro concedeu entrevista exclusiva a revista e, entre outras considerações, avaliou que indicação de Vélez ao Ministério da Educação fora um ‘erro’ e revelou bastidor de conversa com Olavo depois

- Publicado no dia
Presidente Jair Bolsonaro (Foto: Marcos Corrêa/PR)

O presidente Jair Bolsonaro concedeu uma entrevista exclusiva à revista Veja desta semana e, entre outros pontos, admitiu que “já passou noites sem dormir”, “chorou pra caramba” e que a presidência é mais difícil do que imaginava. [1]

“Está faltando o mínimo de patriotismo para algumas pessoas que decidem o futuro do Brasil. O pessoal não está entendendo para onde o Brasil está indo. Não preciso dizer quem são essas pessoas. Elas estão aí. Imaginava que ia ser difícil, mas não difícil assim”, revelou.


PUBLICIDADE



Na mesma entrevista, Bolsonaro também admitiu que indicou o ex-ministro Ricardo Vélez por indicação de Olavo de Carvalho. E confidenciou que conversou com o professor sobre a indicação do ministro depois:

“Errei no começo quando indiquei o Ricardo Vélez como ministro. Foi uma indicação do Olavo de Carvalho? Foi, não vou negar. Ele teve interesse, é boa pessoa. Depois liguei para ele: ‘Olavo, você conhecia o Vélez de onde?’. ‘Ah, de publicações.’ ‘Pô, Olavo, você namorou pela internet?’, disse a ele. Depois, tive de dar uma radicalizada. Em conversas aqui com os meus ministros, chegamos à conclusão de que era preciso trocar, não se pode ter pena, e trocamos”, afirmou.

Curiosamente, após declarar isso, o presidente também afirmou que Olavo não tem influência no governo, mas admitiu que o filósofo e professor “foi uma pessoa importante” na campanha.

“Raramente eu converso com o Olavo. Ele tem a sua liberdade de expressão e ponto. Quantas vezes eu fui chamado de ladrão, safado, sem-vergonha, homofóbico, racista. Eu fico quieto? Agora, se ele responde às agressões de lá… O Olavo não faz por maldade. Ele, pela idade talvez, quer as coisas resolvidas mais rápida. Talvez seja isso aí”, disse.

Ao longo da entrevista, Bolsonaro também disse que pretende, após a tramitação da reforma da Previdência, trazer à pauta a questão da reforma Tributária.

★ ★ ★

Nós criamos o Boletim da Liberdade porque acreditamos em um jornalismo sério, independente e de viés liberal. Você pode ajudar esse projeto.

Para que possamos manter e melhorar nossa missão de organizar, divulgar e apurar informações de interesse público, tornando-as acessíveis para todos, precisamos da sua ajuda. Se você é um entusiasta do Boletim, colabore fazendo uma assinatura. Com menos de R$ 10 ao mês, você ajuda a viabilizar um jornalismo mais plural e democrático no Brasil e tem acesso a conteúdos exclusivos.

Apoie a mídia independente: curta nossa página.


 

 

Comentários


Receba nosso conteúdo por e-mail



Leia também
error: Não é permitida a reprodução do conteúdo sem prévia autorização.