fbpx
PUBLICIDADE


Bolsonaro desmente GloboNews nas redes sociais e nega que demitirá Vélez

Desmentido vem no fim de um dia especialmente ruim para o Ministro da Educação, que não se saiu bem em sua participação na Comissão de Educação da Câmara dos Deputados

- Publicado no dia
Ricardo Vélez-Rodriguez falou à Comissão de Educação da Câmara dos Deputados (Foto: Cleia Viana/Câmara dos Deputados)

Com uma foto de uma televisão ligada na Globo News, o presidente Jair Bolsonaro classificou nas redes sociais nesta quarta-feira (28) como fake news a notícia de que demitiria o ministro da Educação, Ricardo Vélez-Rodrigues. [1]

O presidente disse que sofre de “bombardeios diários” de notícias como essas, contendo afirmações de que não governa ou é atrapalhado.

“Vocês sabem quem, na verdade, quer nos desgastar para que se crie condições que se justifique uma ação definitiva contra meu mandato no futuro. Tire suas conclusões”, disse o presidente, enigmático, defendendo seu “compromisso com o Brasil”.

Crise na Educação

A declaração de Bolsonaro de que não demitirá Vélez vem após um dia especialmente ruim para o ministro da Educação, quando foi sabatinado por parlamentares da Comissão de Educação da Câmara.


PUBLICIDADE



Vélez foi duramente criticado por não apresentar projetos, metas e o que foi feito durante esse período. Uma das principais críticas ao ministro foi a deputada federal Tábata Amaral (PDT/SP), cofundadora do movimento “Acredito”. [2]

Há três meses no comando de uma das pastas mais importantes do governo, o ministro já trocou inúmeras vezes de equipe e se viu envolvido em polêmicas.

Indicado pelo professor Olavo de Carvalho, Vélez chegou a sofrer críticas inclusive do filósofo, radicado nos Estados Unidos. Recentemente, o ministro também foi criticado pelo ex-presidente da Inep, que foi nomeado em janeiro e exonerado na última segunda-feira (25). Professor da FGV, Marcus Vinicius Rodrigues classificou-o como “limitado” para a função. [3]

★ ★ ★

Nós criamos o Boletim da Liberdade porque acreditamos em um jornalismo sério, independente e de viés liberal. Você pode ajudar esse projeto.

Para que possamos manter e melhorar nossa missão de organizar, divulgar e apurar informações de interesse público, tornando-as acessíveis para todos, precisamos da sua ajuda. Se você é um entusiasta do Boletim, colabore fazendo uma assinatura. Com menos de R$ 10 ao mês, você ajuda a viabilizar um jornalismo mais plural e democrático no Brasil e tem acesso a conteúdos exclusivos.

Apoie a mídia independente: curta nossa página.


Comentários


Receba nosso conteúdo por e-mail



Leia também
error: Não é permitida a reprodução do conteúdo sem prévia autorização.