fbpx
PUBLICIDADE

‘O Vélez se vendeu ou se deu?’, provoca Olavo de Carvalho no Twitter

Professor do Curso Online de Filosofia e um dos principais influenciadores ideológicos do governo Jair Bolsonaro criticou de forma enigmática o ministro Ricardo Vélez-Rodrigues, que ele mesmo havia indicado
Bolsonaro com o ministro Ricardo Vélez (Foto: Valter Campanato / Agência Brasil)
Ricardp Vélez (Marcelo Camargo / Agência Brasil)
PUBLICIDADE

O professor e filósofo Olavo de Carvalho criticou nas redes sociais na noite desta segunda-feira (11) o ministro Ricardo Vélez-Rodriguez, da Educação, que ele mesmo indicou para ocupar o posto.

PUBLICIDADE

Nas redes sociais, o influenciador, inicialmente, afirmou que só seguiria apoiando o ministro se ele se livrasse dos “croquetettes”, uma referência aos assessores próximos a Coronel Roquetti, principal assessor de Vélez que foi alvo de duras críticas de alunos ligados a Olavo e que acabou exonerado por pressão do presidente Jair Bolsonaro. [1]

Na sequência, Olavo criticou a relação de empresas de educação no Brasil com verbas do ministério. “Qualquer acordo do ministro com grupos empresariais ou políticos que tinham alguma influência na educação brasileira antes da eleição do Bolsonaro é um crime. Entendeu bem, Velez?”, disse. [2]

PUBLICIDADE

O professor afirmou ainda que se Vélez mantiver acordo com esses empresários, o ideal seria pô-lo para fora. A partir daí, o tom engrossou. [3]

“O Vélez se vendeu ou se deu? Não tenho a menor ideia”, desabafou Olavo, enigmático, sem deixar claro as razões da fala. Depois, afirmou que não perguntaria a Vélez sobre a razão de ter mudado de comportamento. “Não sou psiquiatra dele”, arrematou. [4][5]

PUBLICIDADE

Compartilhe essa notícia:




O Boletim da Liberdade tem um propósito: reportar diariamente fatos sobre a liberdade no Brasil e no mundo…

mas nós precisamos da sua ajuda para continuar esse trabalho.

➡ Se você consome e aprecia nosso conteúdo, considere fazer uma assinatura. Com a sua contribuição mensal, você ajuda a manter o site no ar (os custos são realmente altos) e ainda possibilita o nosso crescimento. Além disso, recebe benefícios exclusivos. Temos vários projetos na mesa que só serão viabilizados com maior quantidade de assinantes. Saiba mais e assine agora mesmo.

➡ Siga e interaja em nossas redes sociais (Facebook, Twitter e Instagram), inscreva-se em nossa newsletter gratuita semanal e entre em nosso grupo do WhatsApp para recebimento de conteúdos.

Colunas mais recentes

Assine o Boletim da Liberdade e receba todas as segundas-feiras a coluna Panorama