fbpx
PUBLICIDADE


Rodrigo Maia afirma que reforma da Previdência deve ser aprovada em julho

Presidente da Câmara lembrou também que pediu a antecipação de relatório sobre a reforma, o que poderia facilitar formação de maioria a favor do texto

- Publicado no dia
Rodrigo Maia (Foto: Reprodução / El País)

A maioria absoluta dos liberais deseja que a Nova Previdência proposta pelo Ministro da Economia Paulo Guedes seja aprovada o mais depressa possível para evitar o aprofundamento dos problemas fiscais do país. Para todos que aguardam ansiosamente, as declarações do presidente da Câmara, Rodrigo Maia, nesta quarta-feira (29), podem ser uma boa notícia. [1]

Rodrigo Maia disse que a reforma previdenciária será votada em julho. “Nós vamos votar no prazo, na segunda quinzena de junho, e no plenário na primeira quinzena de julho se a gente tiver votos”, afirmou. Ainda de acordo com ele, o texto da reforma é “muito bem elaborado”.


PUBLICIDADE



O aceno animador vem logo após o pacto firmado entre os poderes republicanos para atingir o objetivo reformista. “Essas pessoas que nós escolhemos no Parlamento e no Executivo estão preocupadas em reduzir os 13 milhões de desempregados, os 9 milhões de pessoas que vivem abaixo da extrema pobreza, em fazer esse Brasil voltar a crescer e ter emprego. Eu acho que é essa mensagem que a gente precisa passar”, garantiu.

Maia fez questão de mencionar que pediu ao relator Samuel Moreira (PSDB) um relatório prévio antecipado. “Não foi nenhuma tentativa minha de antecipar, de atropelar os prazos”. (…) com o pré-relatório apresentado uma semana antes, os deputados vão poder fazer críticas e a gente vai poder ter a sensibilidade de saber se o texto que ele está querendo apresentar é um texto que garante a vitória não apenas na comissão, mas no plenário da Câmara”

★ ★ ★

Nós criamos o Boletim da Liberdade porque acreditamos em um jornalismo sério, independente e de viés liberal. Você pode ajudar esse projeto.

Para que possamos manter e melhorar nossa missão de organizar, divulgar e apurar informações de interesse público, tornando-as acessíveis para todos, precisamos da sua ajuda. Se você é um entusiasta do Boletim, colabore fazendo uma assinatura. Com menos de R$ 10 ao mês, você ajuda a viabilizar um jornalismo mais plural e democrático no Brasil e tem acesso a conteúdos exclusivos.

Apoie a mídia independente: curta nossa página.


Comentários


Receba nosso conteúdo por e-mail



Leia também
error: Não é permitida a reprodução do conteúdo sem prévia autorização.