PUBLICIDADE


Manifestantes de esquerda interrompem sessão solene dos 131 anos da Lei Áurea

Ativistas gritaram palavras de ordem e levantaram bandeiras com referências à Marielle Franco, morta em 2018; discurso do deputado Luiz Philippe de Orleans e Bragança, trineto da Princesa Isabel, foi interrompido

- Publicado no dia
Foto: Reprodução/TV Câmara

A Câmara dos Deputados realizou na manhã desta terça-feira (14) uma sessão solene em homenagem aos 131 anos da assinatura da Lei Áurea, que acabou com a escravidão no Brasil. O encontro, no entanto, que estava acontecendo de forma pacífica, foi interrompido por um grupo de ativistas e parlamentares de esquerda críticos ao posicionamento dos presentes ao evento – em sua maioria, do PSL, entre os quais o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL/SP).

No meio do discurso do deputado federal Luiz Philippe de Orleans e Bragança (PSL/SP), trineto da Princesa Isabel, um grupo de pelo menos 20 ativistas invadiu o plenário com palavras de ordem e carregando cartazes. Até a bandeira verde-e-rosa da escola de samba carioca Mangueira, campeã no carnaval de 2019 por criticar a história oficial do Brasil, foi levada pelos ativistas.


PUBLICIDADE



Em determinado momento, os grupos de ideologias opostas competiram no grito entre “Isabel” (referência à Princesa Isabel, quem assinou a Abolição) e “Marielle” (parlamentar negra de esquerda assassinada em 2018 no Rio de Janeiro).

O Movimento Brasil Livre chamou o protesto de “bizarro”, porque representou a esquerda criticando uma sessão solene que celebrou o fim da escravidão. “Não vale mais homenagear o fim da escravidão?”, questionou o movimento, nas redes sociais. Na sequência, ironizou: “Ah sim, eles não gostaram do fim da escravidão dos médicos cubanos no Brasil”.

+ ‘A abolição foi a maior reforma liberal que já existiu no Brasil’, diz Leandro Narloch, em entrevista ao Boletim da Liberdade

★ ★ ★

Nós criamos o Boletim da Liberdade porque acreditamos em um jornalismo sério, independente e de viés liberal. Você pode ajudar esse projeto.

Para que possamos manter e melhorar nossa missão de organizar, divulgar e apurar informações de interesse público, tornando-as acessíveis para todos, precisamos da sua ajuda. Se você é um entusiasta do Boletim, colabore fazendo uma assinatura ou fazendo uma doação de qualquer valor. Contamos com você para viabilizar um jornalismo mais plural e democrático no Brasil.

Apoie a mídia independente: curta nossa página.


Seja um assinante e receba nosso conteúdo por Whatsapp


Seja um mantenedor com uma doação única de qualquer valor


Comentários

Receba nosso conteúdo por e-mail



Leia também
error: Não é permitida a reprodução do conteúdo sem prévia autorização.