fbpx
PUBLICIDADE


Advogado do MBL diz que caminhoneiros são ‘MST de luxo’ de Bolsonaro

De acordo com Rubinho Nunes, o presidente alegou tentar conter uma possível greve dos caminhoneiros, mas suas concessões à categoria teriam efeito contrário

- Publicado no dia
Rubinho Nunes (Foto: Reprodução / Youtube)

O nome de Rubinho Nunes tem figurado cada vez mais nos vídeos do Movimento Brasil Livre: advogado do movimento, ele aparece para trazer comentários conjunturais, geralmente pela perspectiva do direito. Avaliando o quadro político nesta terça-feira (17), ele disse que os caminhoneiros estão sendo colocados na posição de “MST de luxo” do presidente Jair Bolsonaro.

Lembrando que Bolsonaro apoiou inicialmente a greve dos caminhoneiros que impôs sérias dificuldades ao país entre maio e junho do ano passado, Nunes afirmou que o governo “parece não saber lidar com a categoria”.


PUBLICIDADE



Crítico do pedido de Bolsonaro de uma suspensão temporária do aumento do preço do diesel à Petrobras alegando não querer suscitar uma greve dos caminhoneiros, Nunes disse que os caminhoneiros “não estavam nem sabendo do aumento e não haviam sequer ventilado a possibilidade de uma paralisação”. Antecipando-se a isso, o presidente, na sua avaliação, se mostrou “frágil e manipulável” e, ao contrário do esperado, estimulou os caminhoneiros a agir.

“Jair Bolsonaro trouxe para dentro do governo um risco de greve muito grande”, sustentou Rubinho, invertendo o argumento dos defensores da atitude do presidente. “É um MST de luxo, porque (…) os caminhoneiros são um grupo organizado, são pessoas que têm recursos, veículos, casas, por mais que tenham ou não uma vida sofrida, essas pessoas têm recursos. Não é qualquer 30 mil reais via crédito de financiamento que vai conter essa massa”, ele disse, justificando que trabalhar “junto com os caminhoneiros” grevistas seria “fomentar um MST dentro do governo”.

A visão de Kim Kataguiri

A abordagem de Rubinho Nunes sobre a atitude do presidente de paralisar o ajuste de preços supostamente por receio dos caminhoneiros tem semelhanças com a visão do deputado Kim Kataguiri (DEM-SP), ícone do MBL. Para ele, a medida de Bolsonaro apenas “busca estancar a queda na popularidade do presidente” e “não há nenhuma grande mobilização que indique greve”. [1]

★ ★ ★

Se você acompanha e aprecia o trabalho jornalístico do Boletim da Liberdade, e valoriza a importância de existir um veículo profissional com viés liberal, pedimos que:

➡ Considere fazer uma assinatura solidária ao Boletim. Com uma contribuição de R$ 99,90 ao ano, você ajuda que o site continue no ar e possibilita o nosso crescimento. Além disso, recebe benefícios exclusivos. Temos vários projetos na mesa que só serão viabilizados com maior quantidade de assinantes. Saiba mais e assine agora mesmo.

➡ Siga nossas redes sociais (Facebook, Twitter e Instagram), inscreva-se em nossa newsletter gratuita semanal e na nossa listagem do WhatsApp. Curta nossas publicações, compartilhe-as para seus amigos e fale do site para conhecidos e familiares liberais. Toda ajuda faz diferença.

Curta nossa página no Facebook


Comentários


Receba nosso conteúdo por e-mail



error: Não é permitida a reprodução do conteúdo sem prévia autorização.