fbpx
PUBLICIDADE


João Amoêdo acusa Bolsonaro de fugir de esclarecimentos sobre caso Queiroz

O presidente da República acusou a jornalista Constança Rezende, replicando um áudio divulgado pelo canal ‘Terça Livre’ de estar tramando contra seu governo

- Publicado no dia
João Amoêdo (Foto: Reprodução / Diários da Liberdade)

O final do domingo (10) foi marcado por uma polêmica divulgada pelo presidente Jair Bolsonaro. Juntamente com o canal de mídia Terça Livre, o presidente acusou a jornalista Constança Rezende, de O Estado de S. Paulo, de querer deliberadamente derrubar o governo. O fundador do Partido Novo, João Amoêdo, não gostou da abordagem e fez uma dura crítica ao presidente.

Tudo começou porque Bolsonaro replicou uma publicação do canal de mídia com um áudio em inglês contendo um diálogo da jornalista, em que ela afirma ter acesso a documentos sobre a investigação relativa ao caso do ex-assessor do senador Flávio Bolsonaro (PSC-RJ), Flávio Queiroz, investigado pelo Coaf.  A transcrição do Terça Livre aponta a jornalista dizendo que “sua maior preocupação” é que o caso não avance, o que seria “uma grande frustração”, porque ela achava ser “um caso de impeachment”. Rezende ainda estaria assumindo que os documentos sobre o caso a que teve acesso não são públicos.

O Estado de S. Paulo se manifestou a respeito, alegando que as frases da gravação foram retiradas de uma conversa que a jornalista teve em 23 de janeiro com alguém que se apresentou como um estudante interessado em comparar Donald Trump e Jair Bolsonaro. O jornal disse ainda que o áudio está truncado, contendo trechos selecionados que distorcem o significado. O Globo também comentou que a acusação à jornalista é falsa; Bolsonaro mencionou que Rezende é filha de Chico Otavio, que trabalha para o jornal. [1]  [2]


PUBLICIDADE



Foi depois disso que Amoedo, já no começo madrugada de segunda-feira (11), comentou: “O tweet do presidente Bolsonaro sobre a jornalista do Estadão tenta deixar de lado o que importa: o esclarecimento dele e do senador Flávio sobre o caso Queiroz”.

★ ★ ★

Se você acompanha e aprecia o trabalho jornalístico do Boletim da Liberdade, e valoriza a importância de existir um veículo profissional com viés liberal, pedimos que:

➡ Considere fazer uma assinatura solidária ao Boletim. Com uma contribuição mensal, você ajuda que o site continue no ar e possibilita o nosso crescimento. Além disso, recebe benefícios exclusivos. Temos vários projetos na mesa que só serão viabilizados com maior quantidade de assinantes. Saiba mais e assine agora mesmo.

➡ Siga nossas redes sociais (Facebook, Twitter e Instagram), inscreva-se em nossa newsletter gratuita semanal e entre em nosso grupo do WhatsApp para recebimento de conteúdos. Curta nossas publicações, compartilhe-as para seus amigos e fale do site para conhecidos e familiares liberais. Toda ajuda faz diferença.

Curta nossa página no Facebook

Notícias no WhatsApp
O sexto grupo do Boletim da Liberdade no WhatsApp está com vagas abertas. É por tempo limitado. Entre apenas caso tenha interesse em notícias sobre política e economia com um viés liberal. Clique aqui para entrar.
Siga-nos no Twitter

Comentários


Receba nosso conteúdo por e-mail



error: Não é permitida a reprodução do conteúdo sem prévia autorização.