PUBLICIDADE


Kim Kataguiri proporá que trabalho formal seja permitido a partir dos 14 anos

Deputado federal do DEM de São Paulo e coordenador nacional do Movimento Brasil Livre afirmou que ele mesmo, aos 14 anos, chegou a buscar um emprego – e que medida favorece maturidade e visão de mundo

- Publicado no dia
Deputado federal Kim Kataguiri (Foto: Pablo Valadares/Câmara dos Deputados)

O deputado federal Kim Kataguiri (DEM/SP) anunciou em suas redes sociais neste sábado (9) que proporá uma Proposta de Emenda Constitucional (PEC) para permitir o trabalho formal a partir dos 14 anos de idade. [1]

De acordo com o parlamentar, que é coordenador do Movimento Brasil Livre, o projeto apenas proibirá trabalhos perigosos ou insalubres.


PUBLICIDADE


“Sempre quis trabalhar. Nunca gostei da ideia de gastar o dinheiro do meu pai. Com 14 anos, finalmente consegui convencer a minha mãe a me deixar trabalhar. Encontrei uma vaga de arrumador de livros numa loja perto de casa. Foi minha primeira entrevista de emprego. O dono da livraria gostou de mim, mas não podia me contratar por causa da idade”, desabafou Kim.

Para ele, é “perfeitamente possível conciliar uma vida de trabalho e estudo” e “começar mais cedo significa aprender mais, ganhar maturidade e ter uma visão de mundo muito mais próxima da realidade”.

Na legislação atual, o trabalho é permitido apenas após os 16 anos, salvo na condição de “menor aprendiz”, onde fica permitida a participação do jovem com 14 anos. Geralmente, apenas empresas grandes, por força de lei, abrem essas oportunidades.

★ ★ ★

Nós criamos o Boletim da Liberdade porque acreditamos em um jornalismo sério, independente e de viés liberal. Você pode ajudar esse projeto.

Para que possamos manter e melhorar nossa missão de organizar, divulgar e apurar informações de interesse público, tornando-as acessíveis para todos, precisamos da sua ajuda. Se você é um entusiasta do Boletim, colabore fazendo uma assinatura ou fazendo uma doação de qualquer valor. Contamos com você para viabilizar um jornalismo mais plural e democrático no Brasil.

Leia também:  Advogado do MBL diz que caminhoneiros são 'MST de luxo' de Bolsonaro
Apoie a mídia independente: curta nossa página.


Seja um assinante e receba nosso conteúdo por Whatsapp


Seja um mantenedor com uma doação única de qualquer valor


Comentários

Receba nosso conteúdo por e-mail



Leia também
error: Não é permitida a reprodução do conteúdo sem prévia autorização.