fbpx
PUBLICIDADE

Presidente da Assembleia Nacional é detido e liberado pela ditadura de Maduro

O presidente interino foi detido por agentes da inteligência venezuelana, mas sua esposa, parlamentares de seu partido e ele próprio já se manifestaram dizendo que está liberado
Juan Guaidó (Foto: Reprodução / Twitter)
Juan Guaidó (Foto: Reprodução / Twitter)

Logo depois de ter declarado, na última sexta-feira (11), que é o presidente interino da Venezuela, o presidente da Assembleia Nacional do país, Juan Guaidó, levou um verdadeiro “susto” neste domingo (13). Ele foi preso, embora pouco depois tenha sido liberado, pela ditadura de Nicolás Maduro.

Agentes do serviço de inteligência venezuelano foram os responsáveis pela detenção, mas, segundo sua esposa e parlamentares do seu partido, o Voluntád Popular, ele foi liberado poucos minutos depois. Os fatos se deram em uma rodovia ligando a capital Caracas a La Guaira.

O próprio Guaidó se manifestou sobre o caso em sua conta no Twitter: “Já estou no meu berço, no meu estado Vargas. O regime tentou me impedir, mas nada e ninguém vai nos impedir. Aqui continuamos em frente pela nossa Venezuela”.





A rápida detenção sucede declarações da ministra de serviços penitenciários, Iris Varela, que disse que já tinha preparado uma cela especial para Guaidó. A detenção foi condenada por Luis Almagro, secretário-geral da Organização dos Estados Americanos, que a chamou de “sequestro” e disse que a comunidade internacional precisa parar os crimes de Maduro.





Compartilhe essa notícia:




O Boletim da Liberdade tem um propósito: reportar diariamente fatos sobre a liberdade no Brasil e no mundo…

mas nós precisamos da sua ajuda para continuar esse trabalho.

➡ Se você consome e aprecia nosso conteúdo, considere fazer uma assinatura. Com a sua contribuição mensal, você ajuda a manter o site no ar (os custos são realmente altos) e ainda possibilita o nosso crescimento. Além disso, recebe benefícios exclusivos. Temos vários projetos na mesa que só serão viabilizados com maior quantidade de assinantes. Saiba mais e assine agora mesmo.

➡ Siga e interaja em nossas redes sociais (Facebook, Twitter e Instagram), inscreva-se em nossa newsletter gratuita semanal e entre em nosso grupo do WhatsApp para recebimento de conteúdos.

Colunas mais recentes

Assine o Boletim da Liberdade e receba todas as segundas-feiras a coluna Panorama