fbpx
PUBLICIDADE


Líder oposicionista se declara presidente da Venezuela e pede ajuda dos militares

Presidente da Assembleia Nacional do país evocou texto da Constituição para justificar o que, na prática, é um desafio ao ditador Nicolás Maduro

- Publicado no dia
Juan Guaidó (Foto: Reprodução / SuNoticiero)

A turbulência política na Venezuela ganhou a arena internacional e agora Nicolás Maduro, que fez sua cerimônia de posse para novo mandato nesta quinta-feira (10), tem um desafiante autodeclarado. O líder oposicionista Juan Guaidó se declarou nesta sexta-feira (11) presidente interino do país e pediu ajuda das Forças Armadas para garantir sua posse. [1]

Guaidó é o chefe da Assembleia Nacional, o Parlamento venezuelano, e discursou perante centenas de manifestantes em Caracas alegando que a Constituição lhe dá legitimidade para assumir o cargo. “Preciso do apoio dos cidadãos para tornar isso uma realidade. Devem ser o povo da Venezuela, as Forças Armadas, a comunidade internacional que nos levam a assumir o mandato”.


PUBLICIDADE



Luís Almagro, secretário-geral da Organização dos Estados Americanos (OEA), já se manifestou reconhecendo a presidência de Guaidó com base no artigo 233 da Constituição do país. O artigo diz que o presidente será substituído interinamente pela presidência do Legislativo quando a Assembleia e o Tribunal Supremo de Justiça considerarem que ele deve ser retirado do cargo.

Maduro chamou a declaração de “espetáculo” e sua ministra de serviços penitenciários, Iris Varela, disse que já montou uma cela especial para prender Guaidó. O Brasil, assim como os demais países do chamado “Grupo de Lima”, reconheceu a ilegitimidade do governo Maduro e disse que “continua comprometido a ajudar o povo venezuelano a recuperar a liberdade e a democracia”. [2]

★ ★ ★

Nós criamos o Boletim da Liberdade porque acreditamos em um jornalismo sério, independente e de viés liberal. Você pode ajudar esse projeto.

Para que possamos manter e melhorar nossa missão de organizar, divulgar e apurar informações de interesse público, tornando-as acessíveis para todos, precisamos da sua ajuda. Se você é um entusiasta do Boletim, colabore fazendo uma assinatura. Com menos de R$ 10 ao mês, você ajuda a viabilizar um jornalismo mais plural e democrático no Brasil e tem acesso a conteúdos exclusivos.

Apoie a mídia independente: curta nossa página.


Comentários


Receba nosso conteúdo por e-mail



Leia também
error: Não é permitida a reprodução do conteúdo sem prévia autorização.