PUBLICIDADE


Queiroz concede entrevista ao SBT: veja as principais declarações e a íntegra

Ex-assessor do deputado estadual e senador eleito Flávio Bolsonaro reafirmou versão do presidente eleito sobre empréstimo, anunciou estar com câncer e relatou abatimento com a situação

- Publicado no dia
Foto: Reprodução/SBT

O ex-assessor parlamentar do deputado estadual e senador eleito Flávio Bolsonaro (PSL/RJ), Fabrício Queiroz, concedeu com exclusividade nesta quarta-feira (26) uma entrevista à jornalista Débora Bergamasco, do SBT. Policial militar aposentado, Queiroz deu sua versão sobre as transações financeiras consideradas suspeitas pelo Coaf e se emocionou na entrevista.

A respeito do volume financeiro de suas contas, Queiroz explicou que é um “cara de negócios” e ganhava mais de R$ 20 mil ao mês, somando suas remunerações de assessor e ex-policial.

“Eu faço dinheiro. Compro, revendo. Compro carro, revendo carro. Sempre fui assim. Gosto muito de comprar carro em seguradora, vendia depois”, disse.


PUBLICIDADE



Sobre o depósito de dinheiro destinado à futura primeira dama, Michelle Bolsonaro, Queiroz reafirmou que tratava-se um empréstimo. Mesma versão declarada pelo presidente eleito tão logo eclodiu a denúncia.

Queiroz explicou ainda que “gere o dinheiro da família” e que suas filhas trabalham com ele desde sempre.  “Quando teve oportunidade de vaga [de emprego no gabinete], eu pedi, pois elas eram muito eficientes”, afirmou, dizendo depois que sua filha, por sua memória, “sempre cuidou da mídia do deputado” e que na ALERJ não tem como trabalhar todos os funcionários presencialmente. “Ela vai dar o esclarecimento dela”, disse.

“No nosso gabinete, a nossa palavra é: não se fala em dinheiro, não se pede em dinheiro. É proibido falar em dinheiro no gabinete. É uma covardia rotular o que está acontecendo comigo ao deputado Flavio Bolsonaro. Não sou laranja”, afirmou.

Nem tudo foi explicado na entrevista, contudo. O ex-assessor afirmou estar abatido e com um câncer recém-descoberto. Queiroz disse ainda que parte das explicações dará apenas ao Ministério Público, que deverá tentar ouvi-lo novamente nesta semana.

“Tenho uma cirurgia marcada. Problema na urina, forte tosse e um câncer maligno. Vou ser submetido a outros exames. Tenho que operar mais rápido possível. Tumor grande, fezes passam fininhas. Não estou fugindo do MP, quero muito prestar o esclarecimento”, disse.

Confira, abaixo, a íntegra da entrevista:

★ ★ ★

Nós criamos o Boletim da Liberdade porque acreditamos em um jornalismo sério, independente e de viés liberal. Você pode ajudar esse projeto.

Para que possamos manter e melhorar nossa missão de organizar, divulgar e apurar informações de interesse público, tornando-as acessíveis para todos, precisamos da sua ajuda. Se você é um entusiasta do Boletim, colabore fazendo uma assinatura ou fazendo uma doação de qualquer valor. Contamos com você para viabilizar um jornalismo mais plural e democrático no Brasil.

Apoie a mídia independente: curta nossa página.


Seja um assinante e receba nosso conteúdo por Whatsapp


Seja um mantenedor com uma doação única de qualquer valor


Comentários

Receba nosso conteúdo por e-mail



Leia também
error: Não é permitida a reprodução do conteúdo sem prévia autorização.