fbpx
PUBLICIDADE


Reinaldo Azevedo diz que Ricardo Vélez só foi escolhido por alinhamento ideológico

O jornalista acusou o professor, escolhido para o Ministério da Educação, de querer substituir o suposto “cientificismo” por “misticismo”

- Publicado no dia
Reinaldo Azevedo (Foto: Reprodução / Portal Comunique-se)

O jornalista Reinaldo Azevedo, que ganhou notoriedade originalmente como crítico do PT e do ex-presidente Lula, tem desenvolvido uma postura bastante crítica ao presidente eleito Jair Bolsonaro. Em sua coluna no site da RedeTV no último dia 23, ele publicou críticas duras ao anunciado futuro ministro da Educação, Ricardo Vélez Rodriguez. [1]

De acordo com Azevedo, Vélez é apenas o segundo ministro indicado por Olavo de Carvalho, definido como “polemista e prosélito de extrema direita”. O jornalista ironizou algumas declarações de Vélez em seu blog, especialmente um trecho de artigo em que o professor argumenta que os estudantes brasileiros sofrem de “uma doutrinação de índole cientificista e enquistada na ideologia marxista, travestida de ‘revolução cultural gramsciana'”. Azevedo perguntou se ele pretenderia substituir uma “doutrinação de índole cientificista” por outra de índole “misticista”.


PUBLICIDADE



Azevedo também contestou a associação entre ideologia de gênero e marxismo e ironizou: “Ou será que Pablo Vitar é a feição que Lênin tomou nos nossos dias? Vélez Rodriguez, consta, já foi trostskista. Vai ver está no corpo de Liniker. E os bolcheviques são os ‘Caramelows'”. Arrematou: “não há o menor risco de isso dar certo”.

Além disso, o jornalista ponderou que Velez não tem experiência de administração, o que seria necessário para a condução da “máquina gigantesca” do ministério da Educação. “Vai ocupar uma das áreas mais complexas do governo — e de interesse estratégico — apenas em razão de seu alinhamento ideológico com o eleito e da defesa que faz do tal “Escola Sem Partido” e de sua oposição à chamada “ideologia de gênero”, concluiu.

★ ★ ★

Nós criamos o Boletim da Liberdade porque acreditamos em um jornalismo sério, independente e de viés liberal. Você pode ajudar esse projeto.

Para que possamos manter e melhorar nossa missão de organizar, divulgar e apurar informações de interesse público, tornando-as acessíveis para todos, precisamos da sua ajuda. Se você é um entusiasta do Boletim, colabore fazendo uma assinatura. Com menos de R$ 10 ao mês, você ajuda a viabilizar um jornalismo mais plural e democrático no Brasil e tem acesso a conteúdos exclusivos.

Apoie a mídia independente: curta nossa página.


Comentários


Receba nosso conteúdo por e-mail



Leia também
error: Não é permitida a reprodução do conteúdo sem prévia autorização.