fbpx
PUBLICIDADE


Mourão reage a comentário de Haddad sobre eventual guerra contra Venezuela

Segundo o candidato a vice na chapa de Jair Bolsonaro, Fernando Haddad desconhece “a capacidade operacional das Forças Armadas” do Brasil pra declarar que o país não venceria a Venezuela

- Publicado no dia
General Mourão em 2014, quando ainda não estava na reserva (Foto: Diego Vara – 28.abr.2014/Agência RBS/Folhapress)

O candidato a vice-presidente na chapa de Jair Bolsonaro (PSL), General Mourão (PRTB), criticou na noite desta terça-feira (23) o fato de Fernando Haddad (PT) ter repercutido a declaração de que ele havia sido torturador, depois desmentida pelo cantor Geraldo Azevedo. No vídeo divulgado pelo PSL, o militar também criticou uma declaração do candidato no programa Roda Viva em relação a uma eventual guerra entre o Brasil e a Venezuela. [1]

“Vejam o grau de mentira, o grau de estupidez, o grau de incoerência dessas pessoas. Como pode o senhor Fernando Haddad querer governar o nosso país se não consegue discernir a verdade da mentira? Aliás, ele não consegue discernir porque a mentira faz parte da vida dele. No programa Roda Viva, o senhor Fernando Haddad atacou as nossas Forças Armadas dizendo que nós não teríamos condições de vencer uma guerra com a Venezuela. Desconhece a capacidade operacional daquelas forças, as quais ele, como presidente da República, seria o comandante”, disse.


PUBLICIDADE



No programa Roda Viva, exibido na última segunda-feira (22), Haddad afirmou que “o filho de Bolsonaro” – sem identificar exatamente qual – tem intenção em “declarar guerra à Venezuela”, mas que hoje o país liderado por Maduro tem “condições bélicas superiores a do Brasil”. [2]

“O adversário está incitando a morte das pessoas. O filho dele na [Avenida] Paulista disse que irá declarar contra a Venezuela. Ele nem conhece a situação das Forças Armadas. A Venezuela tem condições bélicas superiores a do Brasil. O Brasil vai declarar guerra e mandar jovens brasileiros morrerem na fronteira da Venezuela? Ou pede ajuda de um império internacional, ou nós vamos mandar jovens brasileiros pobres para morrer em um conflito que não é o nosso”, disse o petista.

As condições militares do Brasil, no entanto, são uma incógnita. Em 2012, segundo uma reportagem do portal G1, do Grupo Globo, fontes militares teriam declarado que o Brasil dispunha de munição para apenas uma hora de guerra. O texto afirma ainda que grande parte dos equipamentos militares do país são ultrapassados. [3]

[irp posts=”12016″ name=”Ex-ministro da Venezuela diz que ação militar estrangeira deve ser considerada”]

[irp posts=”19390″ name=”Secretário da OEA admite possibilidade de intervenção militar na Venezuela”]

+ ÚLTIMAS VAGAS: Curso de Introdução de Liberalismo abre vagas para a primeira turma por tempo limitado

★ ★ ★

Se você acompanha e aprecia o trabalho jornalístico do Boletim da Liberdade, e valoriza a importância de existir um veículo profissional com viés liberal, pedimos que:

➡ Considere fazer uma assinatura solidária ao Boletim. Com uma contribuição mensal, você ajuda que o site continue no ar e possibilita o nosso crescimento. Além disso, recebe benefícios exclusivos. Temos vários projetos na mesa que só serão viabilizados com maior quantidade de assinantes. Saiba mais e assine agora mesmo.

➡ Siga nossas redes sociais (Facebook, Twitter e Instagram), inscreva-se em nossa newsletter gratuita semanal e entre em nosso grupo do WhatsApp para recebimento de conteúdos. Curta nossas publicações, compartilhe-as para seus amigos e fale do site para conhecidos e familiares liberais. Toda ajuda faz diferença.

Curta nossa página no Facebook

Notícias no WhatsApp
O Boletim da Liberdade abriu mais um grupo no WhatsApp para recebimento de conteúdos especiais. Mas entre logo: é por tempo limitado. Participe apenas caso tenha interesse em notícias sobre política e economia com um viés liberal. Clique aqui para entrar.
Siga-nos no Twitter

Comentários


Receba nosso conteúdo por e-mail



PUBLICIDADE
error: Não é permitida a reprodução do conteúdo sem prévia autorização.