SOBRE     ASSINE     NEWSLETTER     FACEBOOK     TWITTER     YOUTUBE



Eleição de 2018 não terá voto impresso, decide Supremo: qual é a sua opinião?

Decisão do Supremo Tribunal Federal atende pedido da Procuradoria-Geral da República que considerou que o voto impresso nas eleições de 2018 poderia prejudicar o sigilo no voto

- Publicado no dia
(Foto: Marcelo Camargo / ABr)

O Supremo Tribunal Federal decidiu nesta quarta-feira (6) suspender a aplicação do voto impresso nas eleições de 2018. Por 8 votos a 2, a maioria se mostrou favorável à Ação Direta de Inconstitucionalidade impetrada pela Procuradoria-Geral da República. [1]

Para a PGR, a impressão poderia violar o direito ao sigilo do voto, especialmente em casos de falha na impressão. Eleitores analfabetos e deficientes visuais também foram citados para contrapor a medida.

Segundo o jornal Folha de S. Paulo, a procuradora Raquel Dodge também teria criticado a norma aprovada na minirreforma eleitoral de 2015. O texto não teria previsto as consequências do cenário em que o eleitor acusasse não-paridade entre o voto impresso e o voto eletrônico feito na urna. [2]


PUBLICIDADE



A emenda que prevê o voto impresso foi de autoria do deputado federal Jair Bolsonaro (PSL), pré-candidato à presidência da república e que lidera todos os cenários nas pesquisas de intenção de voto sem Lula. Ao programa do Datena, em abril, o parlamentar afirmou que, sem o voto impresso, dificilmente ganhará as eleições enquanto que, com o sistema implementado, poderia vencer até em primeiro turno.

Foram favoráveis à concessão da medida cautelar que cancela a aplicação da emenda os ministros Edson Fachin, Luís Roberto Barroso, Alexandre de Moraes, Marco Aurélio, Rosa Weber, Ricardo Lewandowski, Celso de Mello e Cármen Lúcia.

Os ministros Dias Toffoli e Gilmar Mendes foram contrários à suspensão do trecho da lei. Em seu voto, Gilmar defendeu, porém, que a medida fosse aplicada gradualmente por uma questão operacional – algo que já havia sido definido pelo Tribunal Superior Eleitoral.

Um novo julgamento sobre o mérito do voto impresso poderá ocorrer para definir o destino da norma para as outras eleições.

Leia também:  Coordenador do MBL apresenta panorama detalhado da direita no Brasil

Reações

Para a ativista Beatriz Kicis, advogada, entrevistada pelo Boletim da Liberdade em janeiro e que defendeu nesta quarta-feira (6) o voto impresso perante a corte, a decisão do STF permitiu que o TSE “fique livre para descumprir a lei que nunca quis cumprir”. [3]

“Perde o povo brasileiro, perde o Congresso Nacional, perdem todos que querem lisura nas eleições. Triste dia para a agonizante democracia brasileira”, comentou.

Até a publicação desta matéria, o deputado federal Jair Bolsonaro não havia se manifestado sobre o assunto em suas redes sociais.

Qual é a sua opinião?

E você, tem opinião formada? Vote na enquete do Boletim da Liberdade abaixo, que ficará aberta até o próximo domingo (10):

O voto impresso em paralelo à urna eletrônica deveria ser implementado já a partir das eleições de 2018?

    Sim (95%, 157 Votos)
    Não (3%, 5 Votos)
    Não tenho opinião formada (2%, 3 Votos)

Total de Participantes: 165

Carregando ... Carregando ...

+ ‘Com o voto impresso, ganharei no primeiro turno’, diz Bolsonaro

+ ‘Nas Ruas’ admite novos protestos se TSE mantiver impressão em 5% das urnas

Confira também:

► CHEGOU A HORA DE APRENDER SOBRE BITCOINS EM UM GUIA OBJETIVO: Um treinamento para iniciar no mercado de criptomoedas e ganhar dinheiro.

► CRIE UM NEGÓCIO ONLINE E COMPLEMENTE A SUA RENDA. Siga o passo a passo para em 30 dias começar a faturar sem sair de casa.

► VOCÊ SABIA QUE EXISTE TÉCNICA PARA GANHAR NA LOTERIA? Quem comprou, não se arrependeu. 10 dias de garantia ou o seu dinheiro de volta

Apoie a mídia independente: curta nossa página.


Seja um assinante e receba nosso conteúdo por Whatsapp


Seja um mantenedor com uma doação única de qualquer valor

Comentários

Receba nosso conteúdo por e-mail



Leia também
error: Não é permitida a reprodução do conteúdo